Soldados da Força Nacional de Segurança estão em Araranguá desde a última quarta-feira (8). Os militares ficarão na região do extremo sul catarinense por tempo indeterminado. A equipe irá ajudar a combater a terceira onda de ataques em Santa Catarina, que começou no dia 26 de setembro. Na terra e no céus da região, 24h por dia, o Vale do Araranguá está sendo vigiado.

Monitorando o crime das alturas

Há 11 anos atuando na Divisão de Operações Aéreas da PRF, o paulista Fábio Teodoro já participou de centenas de operações.  De levantamento fotográfico, a resgates e disparos de arma de fogo das alturas, a autoridade policial é mestre no que faz.

 O patrulheiro que tem mais de 20 anos na carreira militar terá agora a missão de controlar dos céus a operação que busca varrer a criminalidade e evitar novos ataques na região. Com um fuzil em punho e mira certeira ele fica a postos dando suporte aos colegas que em terra realizam a ofensiva. “É uma profissão de risco, que exige muita atenção e habilidade. Antes de qualquer iniciativa precisamos de forma muito rápida

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: Rafael Ribeiro