A candidatura de Aécio Neves à Presidência da República recebeu, nesta quarta-feira (8/10), o apoio formal de três partidos que tiveram candidatos a presidente – PSB, PV e PSC. Em um grande ato em Brasília (DF), que contou com a participação de mais de mil pessoas, lideranças políticas de vários partidos, como os ex-candidatos à Presidência Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC), além de governadores e senadores eleitos, manifestaram apoio à candidatura da Coligação Muda Brasil.

“A partir deste instante não é mais a candidatura do meu partido, o PSDB, ou de um grupo de aliados. Ela passa a ser a candidatura do amplo sentimento de mudança que hoje permeia a sociedade brasileira”, disse Aécio.

Pastor Everaldo visitou Aécio em seu gabinete no Senado e declarou que o mineiro é o único capaz de promover as mudanças que o país precisa. “Uma mudança para tirar o nosso país do mar de lama da corrupção que se encontra atualmente”, disse.

Após o anúncio do apoio ao candidato da Coligação Muda Brasil, Eduardo Jorge afirmou que, ao comparar as propostas de Aécio Neves e Dilma Rousseff, constatou que a candidata petista não tem um programa de governo. Ele também criticou o aparelhamento das estatais. “Não podemos aceitar o partidarismo e aparelhamento com que o governo federal está destruindo as estatais.”

PPS e PSL

Na última terça-feira, o PPS já havia anunciado apoio a Aécio. O presidente do partido, Roberto Freire, esteve presente no ato de hoje, quando reiterou sua confiança no candidato da Coligação Muda Brasil. O PSL também decidiu pelo apoio ao candidato.

“O PPS não poderia deixar de emprestar seu apoio a Aécio Neves. Precisamos estar atentos, porque estamos lutando contra um governo que não tem limites, contra um governo que vai fazer uma campanha suja, como fez no primeiro turno”, afirmou Freire.

Boa política

Após participar do ato político, Aécio se dirigiu a encontro do PSB, também na capital federal, onde foi oficializado apoio ao candidato pelo presidente do partido, Roberto Amaral. Em agradecimento, Aécio afirmou que se sente extremamente honrado e considerou que essa manifestação tem uma enorme dimensão política e simbólica, além da conotação eleitoral.

“Na verdade, estamos nos encontrando hoje em um projeto de mudança, de valores, de visão de mundo e eficiência da máquina pública.”

Aécio fez uma deferência ao ex-governador de Pernambuco e candidato Eduardo Campos, morto em acidente de avião em agosto último. “Para mim, do ponto de vista pessoal, esse apoio tem um simbolismo muito grande, porque eu venho hoje recebê-lo na casa de um grande amigo, por quem tenho até hoje uma enorme admiração e que fez muito bem à boa política brasileira, o companheiro Eduardo Campos.”

Ao encerrar o agradecimento à manifestação do PSB, Aécio Neves repetiu as palavras de Eduardo Campos: “Não vamos desistir do Brasil”.

Grande ato

Mais de mil pessoas participaram do “Encontro dos Aliados”, em um gesto de apoio à candidatura de Aécio Neves no segundo turno. Além dos ex-candidatos Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC), também estavam presentes representantes de partidos que integram a coligação da presidente e candidata do PT, Dilma Rousseff, como o governador eleito do Mato Grosso, Pedro Taques, do PDT, e o senador por Pernambuco Jarbas Vasconcelos, do PMDB.

“Eu amo o meu partido, mas amo muito mais o Brasil”, disse Pedro Taques. “Você e nós temos a responsabilidade de fazermos um Estado nacional mais justo, em que não se roube nem se deixe roubar e se prenda aquele que roube.”

Jarbas Vasconcelos lembrou que redigiu uma nota de apoio a Aécio ainda no domingo, data da votação de primeiro turno. “Votei em Marina, sou um dissidente do PMDB. Estou do lado da ética, da decência e da correção.”

Governadores

Dezenas de autoridades saudaram a candidatura de Aécio e prometeram se empenhar para a vitória em 26 de outubro. Estavam presentes os governadores eleitos de São Paulo, Geraldo Alckmin; do Espírito Santo, Paulo Hartung; do Paraná, Beto Richa, e Pedro Taques, de Mato Grosso. Os governadores de Goiás, Marconi Perillo, do Pará, Simão Jatene, e de Alagoas, Teotonio Vilela, também compareceram, assim como os senadores eleitos José Serra (SP), Antonio Anastasia (MG), Álvaro Dias (PR) e Tasso Jereissatti (CE).

“Vamos construir a nossa unidade em torno do projeto mudancista, um projeto de recuperação da ética na política, da eficiência, da melhoria dos nossos indicadores sociais, de respeito às minorias, de garantia do crescimento com sustentabilidade, melhoria da qualidade da educação, avançando no caminho das escolas em tempo integral”, afirmou Aécio.

“No fundo, as questões essenciais nos aproximam, não nos separam. Falo daqueles partidos que já manifestaram formalmente a sua posição em favor da nossa candidatura. Agradeço imensamente a todos eles”, completou Aécio no Memorial JK.

Fonte: Assessoria de Imprensa