Prática ainda presente nas eleições, a propaganda de boca de urna é considerada crime pela legislação eleitoral. Na boca de urna, candidatos e partidos tentam ganhar nos últimos minutos o voto do eleitor com ações como a distribuição de panfletos e o convencimento de pessoas próximo aos locais de votação. Três pessoas foram presas na manhã deste domingo após serem flagrados pela Polícia Militar cometendo o crime.

Por volta das 10h30min, um casal foi detido próximo a Escola Julieta Aguiar Bertoncine, no bairro Mato Alto realizando a entrega de santinhos do candidato Eder Matos(PR). O material de campanha foi apreendido e levado à delegacia de Polícia Civil. Segundo Sargento Luiz Fernando da Polícia Militar, o fiscal da Justiça Eleitoral foi quem acionou a PM que agiu rápido e realizou a abordagem. Foram apreendidos 1521 panfletos do candidato.

Já na delegacia o casal confessou a prática criminosa e revelou ter obtido o material junto a coordenação de campanha do candidato.

Santinhos ao vento

A terceira prisão da manhã envolvendo o crime de boca de urna foi realizada na Beira Rio, no bairro Cidade Alta. Um cabo eleitoral do candidato Valmir Comin (PP), foi preso depois de ter sido flagrado pela PM jogando pela janela do carro, santinhos do candidato progressista. A Juíza Eleitoral Caroline Bündchen esteve no local e determinou o recolhimento do veículo que estava sendo usado para a prática de crime eleitoral. O homem foi conduzido á delegacia de Polícia Civil onde permanece preso

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: Rafael Ribeiro