Um grave acidente de trânsito por pouco não terminou em tragédia na rodovia estadual SC 447, que liga Araranguá à Meleiro.o fato foi registrado as 23h deste domingo.  O motociclista com iniciais C.F.C, de 30 anos perdeu o controlo da motociclista e acabou saindo da pista, colidindo contra um barranco as margens da rodovia.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros que prestou atendimento à vitima, com a queda ele foi projetado para dentro de uma vala. Os socorristas tiveram dificuldades para retirar o jovem e a motocicleta de dentro do local que estava coberto com uma lâmina de água dos arrozais. Uma equipe de aproximadamente seis bombeiros militares atuou na ocorrência. O Samu foi acionado e encaminhou  o rapaz ao Hospital Regional de Araranguá.

De acordo com informações do corpo clínico da unidade hospitalar, a vitima já foi atendida e passa por exames que devem verificar existência de uma possível hemorragia interna. Segundo os bombeiros, ele teve ferimentos no lado direito da face direita onde sofreu escoriações e se queixava de fortes dores no peito. Segundo testemunhas que chegaram logo em seguida ao local do acidente, o rapaz apresentava fortes sintomas de embriaguez.

Comunidade protesta

Durante o trabalho do Corpo de Bombeiros, uma significativa quantidade de pessoas que residem às margens da rodovia se reuniu para acompanhar a ação. Eles aproveitaram a presença da Revista W3 para protestar contra o governo que recentemente realizou o recapeamento asfáltico do local e algumas semanas depois precisou fazer uma espécie de operação tapa buracos para cobrir as enormes crateras que abriram no não terminado trabalho de recapeamento.

 A inexistência de sinalização, iluminação e acostamento, tem provocado acidentes e desastres toda a semana durante o trajeto mal acabado. Um morador que preferiu não se identificar conta que em três semanas, na mesma curva, três capotamentos foram registrados. “Alguns em maior ou menor gravidades, mas são vários acidentes acontecendo. Até quando teremos que ver sangue nos asfalto,” desabafa outra moradora local.

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: Rafael Ribeiro