“Estou pagando pelos crimes que cometi no passado e de cabeça erguida.” Com esta frase a cabeleireira Luciane Figueiredo, 41 anos, resumiu a prisão ocorrida na tarde desta sexta-feira, em Araranguá.

Segundo o delegado de Polícia Civil, Jorge Giraldi, a mulher estava escondida sob a cama da residência de sua filha, sobre a qual dormia seu netinho, quando os agentes da Policia Civil da DIC de Araranguá e da Delegacia da Mulher  realizaram a prisão.

De acordo com a Polícia, Luciane foi condenada pela prática de furto qualificado pelo Juízo da Vara Criminal da  comarca de Araranguá, mandado expedido em 28 de novembro de 2013 e também pelos crimes de estelionato e denunciação caluniosa.  “Após algum tempo foragida passou a residir no, bairro alto Feliz, onde foi localizada na tarde de hoje pelos agentes. Após a prisão Luciane foi entregue aos agentes do DEAP,”explica Giraldi.

Em entrevista exclusiva à Revista W3, Luciane jurou arrependimento. “Se eu pudesse voltar atrás e fazer um novo começo eu faria. Estou pagando pelos erros que cometi no passado e faço isso de cabeça erguida. Estou convertida, sigo a religião evangélica e descobri depois de algum tempo que dinheiro sujo não serve pra nada. Dinheiro fácil vem e vai muito rápido. Estou arrependida mas disposta a pagar por todos os crimes que cometi,” desabafa.

Luciane conta que durante oito anos comprava talões de cheque no Rio Grande do Sul e revendia em Sombrio. Através da prática criminosa confessa ter feito muito dinheiro, mas alerta para os riscos do negócio sujo. “Não vale a pena. Não é fácil ter que encarar as minhas filhas chorando ao me ver ser carregada pela polícia. Fui presa três vezes pelo mesmo crime e quero encarar tudo isso de frente. Quero pagar pelo que fiz e refazer a minha vida,” afirma.

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: Rafael Ribeiro