Incentivar o hábito da leitura na era da tecnologia não é tarefa fácil. A atual geração entra em contato desde cedo com os recursos tecnológicos e despertar o interesse por livros é um desafio aos pais e professores.

A leitura é importante para auxiliar tanto na aprendizagem, como no desenvolvimento de pensamentos e da personalidade de cada indivíduo. Uma das maneiras de incentivar esta prática, é utilizar o espaço da biblioteca.

Em Araranguá, a biblioteca é aberta para a comunidade e não é necessário ser estudante para poder utilizar os livros e materiais disponíveis no local. “Para ler na biblioteca não é necessário carteirinha, mas cada pessoa pode levar até três exemplares para casa, podendo ficar com eles por dez dias. Neste caso, é necessário o cadastro. Para fazer a carteirinha é fácil. É necessário identidade, comprovante de residência e uma foto 3x4”, explica a bibliotecária Fabiana Daniel.

Na biblioteca há aproximadamente oito mil exemplares de livros, alguns deles, bem antigos. “Temos livros de 1920, 1940”, conta Fabiana. Além disso, existe uma parte reservada aos escritores araranguaenses. “Estes são muito procurados quando há concursos públicos, trabalhos de escola e monografia”, conta a bibliotecária.

A maioria do acervo da biblioteca é doação. “O Ministério da Cultura às vezes abre edital para doação de livros, nós nos inscrevemos e já ganhamos duas vezes. Há uns dois anos, ganhamos aproximadamente 1.500 exemplares desta maneira, mas qualquer pessoa pode contribuir”.

A biblioteca fica localizada no Jardim Alcebíades Seara, no Centro da cidade. É aberta das 8h às 12h, das 13h30 às 17h30, de segunda a sexta-feira. Uma ótima oportunidade para quem quer se envolver com leituras, se aventurar no mundo do imaginário e ampliar os conhecimentos.  

Texto: Renata Rocha

Fotos: Guilherme Hahn