Briga entre vizinho e cigano termina com dois feridos

Uma ocorrência inusitada movimentou o setor policial durante boa parte do dia desta quarta-feira, feriado do trabalhador. Um grupo de ciganos que se instalou próximo à Favela do Ucca em Araranguá acabou entrando em atrito com um dos vizinhos que reside próximo a localidade.

O desentendimento acabou virando confusão e resultou em agressão. De acordo com informações repassadas pela Polícia Militar que esteve no local e atendeu a ocorrência, o fato foi registrado por volta das 12h de hoje e só terminou no final da tarde, por volta das 18h, quando o irmão da vítima agredida pelo cigano acabou presa por porte ilegal de arma de fogo.

De acordo com o Soldado Alessandro da Rocha, da Polícia Militar a confusão teria tido início por conta do excesso de som. “O autor das agressões revelou que se desentendeu com o vizinho por conta do som. A vitima teria reclamado do excesso de barulho, ambos discutiram e logo começaram as agressões,” conta.

A Polícia Militar esteve no local, acalmou os ânimos  e conduziu o cigano Paulo Cesar Fernandes, 32 anos e a vítima Marino Machado Monteiro até o Hospital Regional de Araranguá. Quem prestou socorro foi a equipe do Corpo de Bombeiros. O cigano sofreu corte da mão direita, já o vizinho foi ferido no antebraço esquerdo. Ambos sofreram lesões leves.

Tragédia evitada

Quando tudo já parecia estar calmo a A PM foi novamente acionada. Desta vez por denuncia anônima onde informações davam conta de que o irmão da vitima teria vindo de Timbé do Sul para se vingar dos ciganos. “Recebemos a informação deque ele estaria armado e disposto a vigar-se pelo irmão. Procedemos as buscas no carro e encontramos uma revolver que foi apreendido. O homem não tinha posse de arma, então recebeu voz de prisão e foi encaminhado á central de Polícia Civil.,” revelou Sd Rocha da Polícia Militar.

A arma foi encontrada pelo Soldado Rocha e também pelo Cabo Volnei. Eles também apreenderam uma foice, pedaços de sarrafo e madeira usadas na agressão do início da tarde.

De acordo com o delegado plantonista Ari José Sotto Riva,  um inquérito policial foi aberto para investigar o caso. O homem preso  por posse ilegal de arma pagou fiança no valor de um salário mínimo e foi liberado no final da tarde de hoje.

Reportagem e fotos: Saulo Pithan