De acordo com um relatório da Unesco, as adolescentes não buscam as Ciências Exatas na mesma proporção que os garotos. Esse comportamento tem repercussões no ensino superior, onde há um desequilíbrio de gênero nos cursos de Exatas, e consequentemente no mercado de trabalho. Foi justamente para desmistificar a área de Engenharia, Computação e suas tecnologias e despertar o interesse de meninas a seguir carreira nestas áreas que, em 2013, foi criado o projeto Meninas Digitais – Regional Sul – UFSC. O projeto integra o programa Meninas Digitais da Sociedade Brasileira da Computação (SBC) e conta com a gestão administrativa e financeira da Fundação Stemmer para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (Feesc).

O projeto, explica a professora Luciana Bolan Frigo, que foi a coordenadora da iniciativa de 2013 a 2018, visa a motivar meninas estudantes do Ensino Médio e dos anos finais do Ensino Fundamental a conhecerem melhor a área de Exatas, desenvolver habilidades e fortalecer o papel da mulher no segmento. Em Santa Catarina há polos do projeto nos campus da UFSC de Florianópolis, Blumenau e Araranguá.

“A Feesc forneceu todo o apoio necessário no processo de aquisição de materiais e gestão dos recursos financeiros para a realização das atividades, cobrando dos fornecedores a entrega dos produtos de forma correta e no prazo de entrega combinado. Além disso, sempre foi eficiente no processo de prestação de contas, o que garante ao coordenador do projeto uma tranquilidade para realizar as atividades propostas”, observou a professora Luciana Frigo.

O projeto Meninas Digitais oferece palestras motivacionais, com profissionais de empresas locais, exibições de documentários e oficinas onde a tecnologia está presente, como computação desplugada, desenvolvimento de aplicativos móveis, jogos digitais, robótica, domótica, montagem de circuitos elétricos e eletrônicos, entre outras atividades. Somente neste semestre estão previstas 25 palestras na escola estadual Maria Garcia Pessi, de Araranguá.

Conquistas

Ao longo dos anos, o projeto acumula uma série de conquistas e reconhecimentos. As primeiras bolsistas de graduação do projeto se formaram neste mês de agosto de 2019 no curso de Engenharia de Computação do campus de Araranguá. “Atuar na retenção das alunas que ingressam apoiando suas atividades também é papel do projeto”, relata a professora Luciana.

Também neste ano, o Meninas Digitais apresentou um workshop sobre Realidade Aumentada na 10ª edição do evento Computer On The Beach, realizado em Florianópolis, para meninas na faixa etária média de 10 anos; e pela primeira vez fez a apresentação de um artigo completo no 3º Women in Information Technology & Fórum Meninas Digitais, promovido em julho em Belém.

Em 2018, o projeto Meninas Digitais UFSC ficou entre os oito finalistas do prêmio Fundo Regional para a Inovação Digital na América Latina e o Caribe (Frida). Foram mais de 400 candidaturas, sendo o único projeto brasileiro selecionado na categoria “Gênero e Tecnologia”.

Em 2016 foram realizadas oficinas de desenvolvimento de aplicativos móveis na Escola Estadual Dite Freitas, na cidade de Tubarão, e no mesmo ano a escola participou do concurso Desafio do Conhecimento, promovido pela Revista Its. No concurso, cada equipe deveria desenvolver o protótipo de um aplicativo e uma das participantes do projeto realizou todas as etapas de desenvolvimento (protótipo, interface gráfica, programação e testes), garantindo a maior pontuação na tarefa. O resultado foi a 3ª colocação da escola no concurso que teve mais de 100 instituições participantes.

Quer saber mais sobre o projeto?
facebook.com/meninasdigitaisufsc
@meninasdigitaisufsc no Instagram

Fonte: Assessoria de Imprensa