Desde que a reportagem relatando o caso de Adriele foi publicada no site do Grupo W3, na última quinta-feira, 23, a família tem recebido diversas formas de ajuda. Na sexta-feira, 24, a menina passou por novos exames, mas permanece sem diagnóstico.

Há mais de 40 dias com fortes dores na cabeça, ela já chegou a apresentar sangramento nos olhos e nariz e a família busca uma resposta para o problema da menina. Após os exames feitos na sexta-feira, a possibilidade de ser alguma doença na área de otorrinolaringologia foi descartada. “Depois de ler a matéria, nós nos sensibilizamos com a história e entramos em contato com a mãe da Adriele. Vimos que poderíamos realizar alguns exames e nos disponibilizamos a doa-los para a família. Já no dia seguinte, ela foi até a nossa unidade em Criciúma para fazer as ressonâncias magnéticas – uma de órbitas e outra nos seios da face”, destaca assessora comercial da unidade da Cliniimagem de Araranguá, Mariane Nazário.

Além dos exames, por meio da Cliniimagem, Adriele também passou pela consulta com o otorrino, doutor Felipe Búrigo, que realizou outro exame – de videonasoendoscopia. “Em nenhum destes exames houve diagnóstico, por isso, os profissionais orientaram que a família procure um profissional da área de hematologia”, afirma.

Agradecimentos

Em contato com a reportagem, a mãe Angélica da Silva, relata seu agradecimento a todos que estão colaborando com a família. “Gostaríamos muito de agradecer toda a equipe da W3 que foram os primeiros a nos apoiar. Desde que a matéria entrou no ar começamos a receber muitas mensagens e ligações de pessoas querendo nos ajudar, inclusive de pessoas de fora do país. Ficamos impressionados com a repercussão que o caso da Adriele gerou e muito, mas muito gratos mesmo pela reportagem ter dado voz ao nosso pedido de socorro”, destaca.

Além dos exames já realizados na Cliniimagem, a família recebeu ainda outras colaborações. “Também queremos muito agradecer a toda a equipe da Cliniimagem que doou estes exames e conseguiu a consulta – que totalizariam mais de R$ 3 mil e jamais teríamos condições de pagar. A clínica Ostermann também ficou de nos dar um retorno para fazer outros exames. E hoje, 27, ela já coletou material para o exame de coagulação e contagem de plaquetas, que vamos ter os resultados no final da semana. Além disso, na quinta-feira, 30, ela terá outro exame em Sombrio e amanhã, 28, passará por outra consulta com o neurologista”, destaca.

Segundo Angélica, a filha permanece com dores na cabeça, mas o sangramento deu uma trégua. “Faz mais de dois dias que não sangra mais, graças a Deus. Apesar de ela continuar com dor e ainda não termos o diagnóstico, agora estamos mais otimistas com relação ao estado de saúde dela, por toda a ajuda que estamos recebendo”, finaliza.

Nos próximos dias, a qualquer novidade, o Grupo W3 irá fazer novas matérias para informar o quadro de Adriele.