Criciúma será sede da agência macrorregional Sul das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). A decisão foi oficializada na manhã desta terça-feira (19), em Florianópolis, após reunião entre a comitiva de representantes de cidades da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) e Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc), composta por deputados estaduais, prefeitos, vereadores, entre outras autoridades, e o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. O encontro ocorreu na sede da companhia e foi articulado pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro.

A intensão inicial da Celesc, conforme o novo modelo organizacional da empresa, era instalar o núcleo Sul da companhia em Tubarão. “Nós ficamos indignados com a primeira proposta, que estava confirmada pela Celesc. Criciúma seria a única cidade polo de Santa Catarina sem a macrorregional da empresa. Isso é inadmissível para a região Sul”, pondera Salvaro. “A Celesc arrecada cerca R$ 700 milhões por ano em Criciúma. A agência de Tubarão arrecada muito menos. Na questão geográfica, Criciúma está melhor posicionada para atender, por exemplo, os municípios do extremo sul.

Essas foram só algumas das justificativas técnicas que apresentamos. Inconformados, batalhamos e chegamos a um entendimento para reverter a decisão da empresa, que deve instalar o núcleo Sul em Criciúma em aproximadamente 60 dias. Saímos satisfeitos de Florianópolis”, complementa. Em Criciúma, a agência macrorregional Sul da Celesc será instalada em um imóvel a ser locado pela empresa.

Na última sexta-feira (15), contra a instalação do núcleo Sul da empresa em Tubarão, Salvaro coordenou uma reunião, realizada no Paço Municipal Marcos Rovaris, com autoridades políticas, representantes empresariais, presidentes de cooperativas de distribuição de energia elétrica, entre outras lideranças da Amrec e Amesc. “Política é diálogo. Unimos forças para defender os interesses de toda a região Sul, que será beneficiada com a instalação da agência macrorregional em Criciúma. Precisamos continuar unidos para lutar por novas conquistas para o Sul de Santa Catarina”, destaca

Fonte: Jhulian Pereira