Nesta segunda-feira, 6, inicia a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite e Sarampo. Desde que casos de sarampo voltaram a surgir, o foco principal é a imunização de crianças entre 12 meses e menores de cinco anos de idade.

A vacina tetraviral é a melhor maneira de prevenção, a imunização protege contra quatro doenças, poliomielite, sarampo, caxumba e rubéola. Para receber a dose é simples, os responsáveis devem levar a carteira do Sistema Único de Saúde (SUS) e a carteira de vacinação. Adultos também recebem a dose, são duas até os 29 anos e mais uma até os 49.

O Dia ‘D’ de vacinação está marcado para o dia 18 de agosto. Todas as Unidades Básicas de Saúde na região estarão abertas no sábado, das 8h às 17h, sem fechar ao meio-dia.

Sintomas do sarampo

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o sarampo é uma doença grave e altamente contagiosa. Normalmente é transmitida por contato direto ou pelo ar. O primeiro sintoma do contágio é geralmente a febre alta, que começa entre 10 e 12. Na fase inicial, o paciente pode apresentar secreções no nariz, tosse, olhos vermelhos e aquosos. Pequenas manchas brancas dentro das bochechas também podem se desenvolver. Após alguns dias, surgem as erupções cutâneas, que atingem geralmente o rosto e na parte superior do pescoço, se espalhando e atingindo mãos e pés. As lesões duram entre cinco e seis dias, desaparecendo em seguida. O intervalo entre a exposição ao vírus e a aparição das erupções cutâneas oscilam entre um semana e 18 dias.

Sintomas poliomielite

Embora não haja casos da doença registrado há 30 anos, a poliomielite pode ser extremamente perigosa. O poliovírus pode causar paralisia e até mesmo a morte. A maior parte dos casos apresenta o tipo não-paralítico da doença, em que a pessoa não manifesta nenhum sintoma. Quando os sintomas surgem são brandos, e podem ser facilmente confundidos com uma gripe. Os sinais e sintomas costumam durar de um a dez dias e são: febre, dor na garganta e na cabeça, vômitos, mal-estar, dor nas costas ou rigidez muscular (principalmente nos membros inferiores) e meningite.

Em casos mais graves, a infecção leva à poliomielite paralítica. Alguns dos sinais são os mesmos da poliomielite não-paralítica, como febre, dor de cabeça e vômito. Entretanto, ela evolui para fortes dores musculares e flacidez nos membros, muitas vezes pior em um dos lados do corpo e em maior incidência nos membros inferiores.