A Associação Empresarial de Criciúma (Acic) reuniu na noite desta segunda-feira, 22, sua nova diretoria para a primeira reunião da gestão 2018-2019. O encontro foi coordenado pelo presidente, Moacir Dagostin com a presença dos novos diretores, que se apresentaram e também manifestaram ideias e ações para compor o planejamento estratégico da associação para os próximos dois anos.

O presidente da Acic, Moacir Dagostin, destacou que a entidade dará continuidade aos projetos que promovam o desenvolvimento da região nas diversas áreas como educação, cultura, saúde, infraestrutura, inovação e tecnologia. “Devemos fortalecer, especialmente, as ações voltadas ao desenvolvimento dos empresários e na captação de novas empresas”, enfatiza Dagostin.

Dagostin destacou ainda o encontro realizado na tarde desta segunda-feira, com o prefeito municipal, Clésio Salvaro, no Paço Municipal. Acompanhado do vice-presidente da Acic, Valcir Zanette, Dagostin discutiu com o gestor municipal o panorama econômico da cidade. “Reforçamos a necessidade de união para a construção do Centro de Inovação de Criciúma, uma das bandeiras da entidade. O terreno foi doado pela Unesc e agora a concretização da obra precisará de ações articuladas pelos poderes constituídos”, detalha.

No encontro com o prefeito, o presidente da Acic também ressaltou a falta de investimentos direcionados ao Sul. O Governo do Estado negocia com grupos empresariais interessados em fazer grandes investimentos nas regiões Norte, Nordeste, Oeste e Planalto Norte e Serrano de Santa Catarina, sem contemplar a região Sul. O prefeito informou que existem várias áreas disponíveis para a implantação de indústrias na cidade.

Entidade se posiciona sobre o reajuste do IPTU

O aumento do IPTU em Criciúma também foi pauta da reunião desta segunda-feira. A entidade se manifesta contra a forma como foi implementado o aumento do imposto pela Prefeitura Municipal por meio de decreto e não de um projeto de lei encaminhado para discussão e aprovação da Câmara de Vereadores. A associação concorda com a posição tomada pelo Legislativo de encaminhar ofício ao prefeito solicitando a suspensão imediata do decreto.

“A arrecadação de R$ 21,5 milhões de 2017 para R$ 32,5 milhões em 2018, representa R$ 11 milhões de transferência de renda das empresas e das famílias criciumenses para o Poder Público. No atual momento econômico, onde tivemos uma inflação de 2,95%, crescer a arrecadação do IPTU em mais de 50% impacta, significativamente, no orçamento da população criciumense”, coloca o presidente da Acic.

Fonte: Deize Felisberto