O governador Raimundo Colombo e o secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Valmir Comin, assinaram na tarde desta quarta-feira, 18, no Centro Administrativo, em Florianópolis, ordens de serviço para a construção de 20 Centros de Referência de Assistência Social (Cras). Os recursos, no total de R$ 6,8 milhões, serão disponibilizados por meio do Programa Pacto pela Proteção Social.

“É uma ação emblemática para o Estado em atender as pessoas que mais precisam. Um programa de alto alcance social que vai atender a população mais carente nas comunidades menos desenvolvidas de Santa Catarina, prestando um serviço de assistência, psicológico e de proteção”, destacou o governador.

Na área de abrangência da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, os Municípios de Sombrio e Maracajá foram contemplados. “Estes novos Centros de Referência vão garantir mais comodidade para receber as famílias de maior vulnerabilidade inseridas nos programas sociais. Agradecemos aos Prefeitos que realizaram as doações dos terrenos para as construções dos dois Cras”, destacou o secretário executivo Heriberto Afonso Schmidt, que participou da solenidade ao lado dos Prefeitos Arlindo Rocha, de Maracajá e Zênio Cardoso, de Sombrio, junto aos seus gestores municipais.

Cada equipamento terá 171 metros quadrados. A construção atende aos padrões de acessibilidade, com um espaço físico compatível com o trabalho social. Os municípios contemplados vão receber, além dessas unidades, a mobília que somadas chega a R$ 300 mil de investimentos.

Colombo afirmou que o serviço será estendido para todo o Estado. “Nós vamos universalizar o atendimento em todos os municípios catarinenses. Ainda neste ano completaremos com as outras que faltam de tal forma que, em pouco tempo, esse serviço funcionará de forma essencial na proteção das pessoas mais carentes de Santa Catarina”.

O Cras é uma unidade pública responsável pela organização e pela oferta de serviços da proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social (Suas), nas áreas de vulnerabilidade e risco social dos municípios. O objetivo é de prevenir a ocorrência dessas situações, dando ampliação do acesso aos direitos e cidadania.

“É um equipamento extremamente importante e pertinente, principalmente para aquelas famílias de graus de vulnerabilidade extrema. Um simples detalhe com equipamento a altura, com conforto, qualidade e com serviço social capacitado com gestores da assistência social isso faz, e muito, a diferença na vida das pessoas”, enfatizou Comin.

Os municípios contemplados no Estado são Agrolândia, Alto Bela Vista, Apiúna, Dona Emma, Presidente Nereu, Erval Velho, Imaruí, Jaraguá do Sul, Schroeder, Maracajá, Sombrio, Pomerode, Rio do Oeste, Rio Rufino, Timbó, Rodeio, São Ludgero, Serra Alta, Vargeão e Vidal Ramos.

Fonte: Leneza Della Krás