Araranguá está prestes a ser incluída na lista das cidades que possuem esgoto tratado, isso porque o SAMAE já iniciou em caráter experimental o funcionamento das duas Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), a I localizada no bairro Urussanguinha e a II no Parque Alvorada. 

Para que os testes sejam realizados com exatidão é importante que os moradores dos bairros contemplados – Urussanguinha, Coloninha, Alto Feliz, Vila São José e parte do Centro – façam as ligações intradomiciliares. “Para que o serviço seja executado é necessária a ligação domiciliar de esgoto à rede coletora já implantada. Mas, é importante que a ligação seja feita por uma pessoa apta, para que não ocorra problemas futuros”, disse o diretor Geral do Samae, José Hilson Sasso. Ele salientou que as pessoas que tenham dúvidas de como proceder devem entrar em contato com o Samae.

A implantação do esgoto tratado era uma reivindicação da população e hoje já é realidade em Araranguá. “É um projeto caro, mas que é de fundamental importância para a cidade e para a população, por isso pedimos que as pessoas colaborem, para que façam valer o investimento realizado”, comentou Sasso. 

Sasso enfatizou que para testar os equipamentos é preciso que as pessoas liguem as redes, “ainda são poucas residências ligadas, precisamos aumentar as ligações para que possamos ver o resultado. Para por a máquina para funcionar precisamos do material que vem destas residências”, relatou.

Positivo

Segundo Sasso as duas ETEs já possuem equipes trabalhando. “Temos notado que os resultados são positivos e que está funcionamento bem, não há reclamações, por isso estamos certos que o sistema vai funcionar corretamente, ainda mais que a empresa vencedora da licitação, a Habitark, tem vasta experiência na área de tratamento de água e de esgoto”, detalhou.

Ampliação

Em Araranguá, neste primeiro momento serão beneficiados 30% da cidade, contudo o Samae já trabalha em busca de recursos para ampliar a rede e projeta levar esgoto tratado para todo o município. “Já existe o projeto para ampliação e vamos em busca de recursos para estender a rede e beneficiar toda a cidade”, frisou Sasso. 

Nas duas estações – Urussanguinha e Parque Alvorada- os investimentos foram de cerca de R$ 17,5 milhões, nas estações, na colocação da rede e no projeto.

Benefícios das ETEs

A falta de tratamento dos esgotos contribui para a proliferação de inúmeras doenças parasitárias e infecciosas além da degradação da água. A disposição adequada dos esgotos é essencial para a proteção da saúde pública. “Em muitos locais ainda há esgoto a céu aberto, o que ocasiona problemas de saúde, principalmente em crianças e idosos, por estarem mais suscetíveis a doenças. Além disso, causa um grande dano ao Meio Ambiente, onde os dejetos do esgoto vão parar no lençol freático contaminando o solo e água”, explica Sasso. 

Sasso lembra que os benefícios diretos das ETEs são o ambiental, o sanitário e o de saúde pública. “Quando a população tem acesso a água tratada, coleta e tratamento dos esgotos, elas têm uma melhoria da qualidade de vida e é para isso que estamos trabalhando”, finalizou.