Graças a uma lei aprovada pela Assembleia Legislativa em 2016, o mês de agosto, em Santa Catarina, é voltado para ações em prol da conscienteção e do esclarecimento sobre a importância do aleitamento materno. Trata-se do Agosto Dourado, que neste ano contou com uma série de atividades nas maternidades e hospitais administrados pelo estado, além da segunda edição do Congresso Catarinense de Aleitamento Materno, que será promovido pela Alesc nos dias 28 e 29.

O tema do Agosto Dourado deste ano é "Trabalhar juntos para o bem comum". Conforme a enfermeira Karine Vieira, coordenadora do Banco de Leite Humano da Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis, o objetivo é mostrar que o ato de amamentar não é uma responsabilidade exclusiva da mãe.

"É algo que deve envolver o pai, a família, a sociedade, é preciso uma rede de apoio que possibilite a essa mãe amamentar o bebê até os dois anos e meio de idade, como é indicado",  afirma Karine.

Ela explica que a cor dourada está relacionada com a classificação do leite humano como alimento padrão-ouro na alimentação infantil.  "É o melhor alimento para o bebê, conta com mais de 250 substâncias que, além de essenciais para o desenvolvimento da criança, evitam doenças como alergias e até morte súbita."

Além da saúde do bebê, o fortalecimento do vínculo entre mãe e filho é outro aspecto importante da amamentação. A microempresária Tatiane Schneider, mãe de Alexandre, que nasceu no último dia 5, faz questão de amamentá-lo. Para isso, conta sempre com o apoio e estímulo do marido, Matheus. "Me preparei bastante para isso. É um momento especial, me sinto mais próxima dele. Além doa acolhimento, da proteção e do amor, eu sei que ele será mais saudável", comenta.

Conscientização

Para Karine, aspectos culturais ainda prejudicam a amamentação. "Geralmente se a mãe não amamentou, as filhas acreditam que também não farão o mesmo", exemplifica.

Para quebrar esses e outros paradigmas, a Assembleia realizará nos dias 28 e 29 de agosto o 2º Congresso Catarinense de Aleitamento Materno. O evento tem a parceria da Associação dos Pedriatras do Hospital Florianópolis, Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis, SES, Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) além de entidades ligadas ao aleitamento materno e à obstetrícia.

Proponente do congresso e autora de lei do Agosto Dourado, a deputado Dirce Heiderscheidt (PMDB) explica que o evento discutirá temas especiais envolvendo políticas públicas voltadas para a promoção do aleitamento materno e questões pontuais relacionadas ao assunto, como locais para amamentação, o direito de amamentar durante a jornada do trablho, licença maternidade, entre outras.

"É um assunto relevante pela saúde das crianças, que é o ponto principal, e pelo ato entre mãe e filho, que é um momento ímpar, comenta a deputada. "Neste ano teremos a participação de palestrantes de renome de todo o país, que são doutores neste tema."

Na primeira edição, realizada no ano passado, mais de 500 pessoas participaram do congresso. A expectativa neste ano é que o público seja ainda maior, com a presença de profissionais de todo o estado. As inscrições estão abertas no site da Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira e as vagas são limitadas.