A placa diz que o início dos trabalhos ocorreu em 9 de dezembro de 2015 e que o término será em 8 de março de 2017. Porém, segundo a moradora da rua Manoel Rufino da Silva, Mariana Rafaela Pizzutti, do bairro Mato Alto, o que deveria ser uma obra de pavimentação com lajotas, se transformou em uma verdadeira novela.

Com os trabalhos paralisados desde dezembro do ano passado, a rua se tornou praticamente intransitável, trazendo diversos problemas aos moradores. “Em dezembro de 2016 a "obra" teve início, foram dias de rua esburacada, muita sujeira e impossível de transitar devido ao barro que fazia com que meu carro e de meus vizinhos atolassem. A situação está tão precária que até o caminhão do lixo atolou semana passada ao tentar manobrar no final da rua. Será que (mais uma vez) o cidadão será feito de bobo?”, questiona.

A moradora utilizou seu perfil na rede social para desabafar e cobrar uma solução das autoridades. “Meus vizinhos e eu estamos confusos, pois em pleno mês de fevereiro, quando já não havia mais nenhum funcionário trabalhando na obra, uma placa foi colocada no início da rua com informações sobre a obra e com a absurda data de início em 09/12/2015 e término em 08/03/2016”, destaca.

Segundo ela, a realização da obra foi noticiada em dezembro de 2015, anunciando a assinatura do convênio entre a prefeitura de Araranguá e o FUNDAM (Fundo de Apoio aos Municípios) e nesta mesma oportunidade informaram que a obra de pavimentação seria feita em 90 dias após a assinatura do convênio, prazo que encerraria em março de 2016. “Não bastasse o absurdo de ter levado um ano para as obras terem início, agora está tudo paralisado. Onde estão as máquinas e os funcionários da empresa Lajecril? Onde estão os blocos de concreto/lajotas? Queremos explicações! Afinal o recurso destinado passa de R$ 241 mil reais! É muito dinheiro para "sumir" assim, sem explicação”, finaliza.

Secretaria explica

De acordo com o secretário de Obras, Luis Celso Frigo, a atual situação da rua se deve ao trabalho de drenagem que foi realizado no local. “Toda obra traz alguns pequenos transtornos, especialmente depois deste trabalho de drenagem, mas isso é algo necessário”, explica.

Já com relação à conclusão dos trabalhos, Frigo garante a finalização será realizada. “Vamos terminar esta obra. Dependemos das condições climáticas, mas acreditamos que seja possível finalizar ainda no mês de março”, destaca.

Quanto à data de início, publicada na placa como dezembro de 2015, ele explica que esta era realmente a previsão, porém, devido a falta de liberação pela administração anterior, o início das obras só foi possível em dezembro de 2016.