Já diz a sabedoria popular que uma imagem vale mais que mil palavras. Contemple com atenção a imagem acima e perceba o olhar sensível deste cão ao seu dono. Observando assim, até parece que a relação dos dois é antiga e que Negão, como foi carinhosamente batizado este cão da raça labrador, está retribuindo todo o amor e carinho recebido do seu novo tutor, o advogado Marcus Pizzolo.

A história que une os dois começou há pouco mais de algumas semanas quando quase ao acaso, Marcus foi apresentado ao seu mais novo cão. Negão possui uma trajetória muito parecida com a de grande maioria dos cães de rua. Foi vítima de abandono e maus tratos e perambulava doente pelas ruas centrais de Santa Rosa do Sul, até que as voluntárias do Instituto SOS Bicho Urbano o adotaram e percebendo sua frágil saúde, iniciaram a reabilitação do animal. “Eu conheci o Negão por acaso. Fui até Santa Rosa para a adotar um outro cão que passava por vários problemas de saúde, mas que infelizmente não resistiu e morreu depois de ter sofrido maus tratos dos antigos donos. Mas neste mesmo dia conheci o Negão e logo percebi que ele me escolheu, pois foi muito dócil e carinhoso comigo. Recebi o convite para adotá-lo e não pensei duas vezes” conta.

Cleonice Bitencourt Cabral, voluntária do Instituto SOS Bicho Urbano em Santa Rosa do Sul conta que Negão provavelmente foi abandonado por ser um cão idoso e apresentar sérios problemas de saúde. Em março deste ano, a realidade do cão era a mesma de muitos animais que haviam sido abandonados na praça central. Todos foram resgatados e encontraram novos lares.

Os brutos também amam

Marcus adotou o cão que desde então tem sido seu companheiro inseparável. O animal considerado de grande porte, possui um tumor benigno e necessita de cuidados especiais. Mas o carinho de Pizzolo com os animais não é de agora. Desde criança ele admira os bichos e em casa já possui outros dois cães, uma vira-lata chamada Magali e uma cadela da raça Golden, apelidada de Mel.

Negão, o labrador, é o morador mais novo da casa, mas nem por isso recebe menos carinho. A sintonia entre os dois é perceptível e durante a entrevista, o cão parecia querer demonstrar a todo instante o quanto estava feliz morando em um lar onde é bem cuidado.

Marcus faz parte de uma estatística ainda muito pequena, a de homens preocupados com o bem –estar animal. Segundo Marcia Lírio, fundadora do Instituto SOS Bicho Urbano em Santa Catarina, as mulheres correspondem ao perfil que mais adota animais abandonados. “Os homens não são tão sensíveis à causa, mas acredito que bons exemplos como este podem incentivar a adoção de animais por homens. O que nos preocupa realmente é que cresce assustadoramente as agressões de violência de maus tratos contra os animais”, alerta Marcia.