Enquanto colhia fumo na tarde da última terça-feira, dia 6, o agricultor José Martins, de 49 anos, esforçava-se para acompanhar entre um intervalo e outro do laboro, a movimentação dos funcionários da empresa Confer Construtora, que retomou a pavimentação da rodovia municipal ARA 245, no bairro Santa Catarina, conhecida por Acesso Sul, que liga Araranguá a Balneário Arroio do Silva. A ordem para retomada da obra foi dada pelo prefeito Sandro Maciel (PT), que deu sinal verde para os trabalhos após receber os recursos do Governo do Estado que estavam atrasados.

Sem esconder o sorriso no rosto, seu José ilustra com exatidão o sentimento das mais de trinta famílias que residem naquela comunidade e aguardavam com ansiedade pela obra.

Com os olhos atentos para a rodovia que passa há poucos metros da propriedade rural onde o cultiva quatro hectares de fumo, o agricultor já vislumbra os benefícios que vai ter com o escoamento da safra e a valorização fundiária da área que passa agora a ser vista com bons olhos pelo mercado imobiliário. “A Construção do Acesso Sul é um sonho que lutamos há mais de 10 anos. Para quem vive na comunidade ela representa a chegada do progresso e a possibilidade de escoar melhor a produção, mas para a região representa um acesso à praia que na época de verão sofre com o trânsito intenso de turistas. Tá certo que são pouco mais de dois quilômetros, mas é só o começo, agora é preciso continuar fazendo,” contou o agricultor que é natural da localidade.

O projeto de pavimentação asfáltica foi elaborado pelo município e os recursos são provenientes de repasse do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam). O valor total do contrato chega a quase R$ 2,5 milhões e os trabalhos estavam parados por falta de repasse do Governo do Estado. Com a situação regularizada, a Confer Construtora Fernandes, vencedora da licitação, já começou os trabalhos de topografia e ainda esta semana deve finalizar a base de acabamento explicou o secretário de Obras Afrânio Ronconi. Segundo ele, serão 2.200 metros de asfalto construído, restando apenas 2.500 metros a serem pavimentados até a divisa com Balneário Arroio do Silva. “A previsão é concluir a obra em pouco mais de 60 dias. Feito isso, Araranguá terá dado uma importante contribuição para mobilidade e turismo da região. Certamente haverão mudanças positivas em vários setores da economia, pois o novo acesso é sem dúvidas o caminho para o desenvolvimento”, explicou.

A vida após a obra

Para entender quais reflexos a obra vai causar na vida dos moradores e da comunidade, a reportagem do Jornal W3 percorreu os quase 5 km do trajeto. Do bairro Santa Catarina, localizado às margens da BR-101, até a divisa de Araranguá com Balneário Arroio do Silva, a estrada é de chão batido e há pontos com buracos pela pista. O tráfego de veículos é intenso e segundo apontam os moradores, aumenta em mais de 200% durante a temporada de verão, por conta dos turistas que visitam a região nesta época do ano. O trajeto é bastante utilizado por veículos pesados como caminhões e máquinas agrícolas

Estímulo para a agricultura

O agricultor José Martins tem na ponta do lápis a economia que deve fazer após a pavimentação. Economia de tempo, desgaste de veículos e máquinas, combustível e ganho no escoamento da produção de fumo. “Esta pavimentação é uma espécie de divisor de aguas na vida da nossa comunidade. Podemos dizer que é uma nova era para o Bairro Santa Catarina. É um sonho se transformando em realidade”, contou.

Incentivo para a indústria

Uma das maiores empregadoras do bairro Santa Catarina é um incubatório de aves da agroindústria JBS. A empresa gera mais de 100 empregos diretos e sofria com a escoamento da sua produção. O transporte dos mais 10 milhões de ovos por mês é sempre um grande desafio para os motoristas dos vários caminhões que enfretam um trecho difícil de chão batido. Acidentes na via já aconteceram com funcionários da empresa e a pavimentação asfáltica deverá reduzir o prejuízo por conta da trinca de ovos que ocorre em função da irregularidade da pista.

Impulso para o comércio

A vendedora Nádia Cristina, de 34 anos sabe bem o que é transitar pela rodovia municipal em todas as estações e climas do ano. É que este sempre foi o seu trajeto. Moradora da localidade desde que nasceu, ela atua em uma pequena loja de confecções sediada na comunidade. O pequeno estabelecimento que faz margens com a rodovia será um dos beneficiados diretos com a obra. “Em dia sol o problema é a poeira e quando chove a lama. Há anos sofremos com estes problemas, além da falta de segurança e iluminação do trecho. Em anos anteriores para conseguir patrolamento era preciso muito esforço. Nos últimos dois anos a prefeitura melhorou as condições da estrada, mas sem dúvidas a pavimentação sempre foi nosso sonho”, contou.

Outra boa notícia para Nádia, é que além da pavimentação, no início da próxima semana a Celesc também deverá começar a fazer o deslocamento de postes da via e promete melhorar a iluminação no local.

“ Esta obra abre caminho para o desenvolvimento”, diz prefeito

“Esta obra foi apontada pela participação popular. Foi um pedido da comunidade através do programa Fala Araranguá e é muito importante porque vai conseguir alavancar o turismo local e regional”. A frase otimista do prefeito de Araranguá Sandro Maciel, ilustra bem o clima de alegria do chefe do executivo em conseguir tirar do papel um sonho de décadas.

Feliz com o início das obras, Sandro comemorou e detalhou os principais benefícios: “É uma ligação, um novo acesso com o município de Balneário Arroio do Silva que vai desafogar o trânsito na época de veraneio. Estas obras estruturantes são caminhos para o desenvolvimento. Gerar obras de infraestrutura é de extrema e importância para uma cidade se desenvolver”, frisou.

Ainda de acordo com o prefeito, muitas idas e vindas até Florianópolis foram necessárias até conseguir a liberação do recurso e recentemente para desentravar os valores que estavam atrasados o que mantinha a obra paralisada. “Os recursos são do Fundam, mas quem define onde a obra será feita é a prefeitura. Neste caso quem definiu foram os moradores através de consulta popular,” detalhou Sandro.