Desde abril, leite especial Pregomin Peptil não está sendo fornecido para bebê Eliabi, e família se vê obrigada a apelar para ajuda da população

Apesar de muito pequeno, o bebê Eliabi, mostra que é um verdadeiro super herói. Com um ano e dois meses, o menino, que nasceu com a síndrome do intestino curto - doença congênita ou adquirida que resulta na perda de parte do intestino delgado - já passou boa parte de sua vida em mesas cirúrgicas, UTIs e camas de hospital. Aos 90 dias de vida, nosso pequeno herói já tinha enfrentado três cirurgias, e passado 62 dias lutando pela vida dentro de uma UTI - Unidade de Terapia Intensiva. Até hoje, ele traz no olhar firme a determinação de quem enfrentou a morte - e continua vencendo as batalhas.

"Tem uma batalha que está muito difícil vencer", conta a mãe de Eliabi, Andreia Rosa de Jesus Soares, que diz que apesar da doença que reduz o intestino do filho em 50% e que reflete diretamente no desenvolvimento do menino - o intestino delgado é responsável por grande parte da absorção das vitaminas A, D, E, K e B12, cálcio, ácido fólico, ferro, zinco e magnésio - o que tem sido mais difícil é sensibilizar as autoridades públicas sobre a dependência de Eliabi do leite Pregomin Peptil e da impossibilidade absoluta da falta do leite especial na alimentação diária do menino: "Nós vencemos o processo na Justiça que obriga o Estado e o município a entregar todos os meses 18 latas, mas isso não acontece desde março. São cinco meses, onde recebemos apenas duas latas do leite que garante a vida do meu filho", conta a mãe, desesperada.

ODISSÉIA - Além de Eliabi, na casa da família, no bairro Januária, em Sombrio, todos aprendem a ser um pouco super heróis. É que nesses cinco meses, incontáveis vezes a família foi buscar informações na Secretaria da Saúde, no Fórum, na prefeitura.

Pagar a farmácia está sendo outra ginástica: no final do mês, a conta vai para R$ 2,4 mil. Apesar do governo alegar que a ausência do produto se deve à falta de matéria prima no mercado, que vem impedindo as fábricas de produzir o leite especial, a mãe de Eliabi diz que não é nada difícil achar o Pregomin Peptil e outros leites especiais nas prateleiras das farmácias, onde cada lata custa em média R$ 130. A ausência do leite e a necessidade médica do bebê estão trazendo sérias consequências econômicas para a família: "Estamos endividados na farmácia, no mercado, sem pagar as contas de água e de luz", conta Márcia, que diz que o que ela e o marido ganham não tem sido suficientes para garantir o leite especial de Eliabi e ao mesmo tempo, o sustento dos quatro filhos do casal.

Doações - Mesmo vivendo em uma família de "supers", Eliabi precisa de ajuda para garantir a força do pequeno grande herói. Para doar o leite especial Pregomin Peptil, visitar Eliabi e conhecer de perto a história dele e de sua família, é só pegar o telefone e ligar para Andreia, pelo fone (48) 9866-2448, ou ir até o bairro Januária, perto do CTG, onde vive a família.