Foram assinados na tarde desta quarta-feira, 27, no gabinete da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, dois termos de cessão de uso de imóveis, entre Governo do Estado, por meio da ADR Araranguá, beneficiando a Associação de Moradores de Morro Agudo e a ASESC (Associação de Surdos do Extremo-Sul Catarinense).

O primeiro termo foi celebrado entre o secretário executivo da ADR, Ademir da Silva, e o presidente da Associação de Moradores de Morro Agudo do Município de Araranguá, Willy Heidner. O termo estabelece que fica cedido para a Associação por 10 anos um imóvel com 408,65 metros quadrados, onde funcionava uma antiga escola do Estado. “Pretendemos reformar o imóvel e utilizá-lo como sede da nossa Associação. Temos cerca de 100 moradores na comunidade e ficamos muito felizes com esta cessão”, disse o Presidente.

Com a presença de inúmeros associados, foi celebrado também o termo de cessão de uso de um terreno no bairro Vila São José, em Araranguá, com 576 metros quadrados, em benefício da ASESC (Associação de Surdos do Extremo-Sul Catarinense), celebrado entre o secretário executivo da Agência e o Presidente da Associação Rodolfo Rocha Pirolla.

A ASESC foi fundada há 13 anos e conta com 156 associados dos 15 Municípios do Extremo-Sul, entre surdos e familiares. O terreno cedido pelo Governo do Estado será utilizado na construção da primeira sede da Associação. “Este é um grande sonho de muitos anos. Desejamos construir a sede própria da ASESC para possibilitar maior aproximação entre os surdos, suas famílias e comunidade. Sonhamos em ter salas para cursos, como de formação de libras e laboratórios de fonoaudiologia”, concluiu a associada Edna Maris Motta Fernandes.