A Colônia de Férias das crianças e adolescentes participantes do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Araranguá tem elevado cada vez mais a autoestima da criançada. Com oficinas diferenciadas ninguém fica parado durante as atividades promovidas pelaPrefeitura de Araranguá, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social. Na tarde desta terça-feira, dia 26, foi realizada a oficina de hip hop com direito a batalha de dança. “A batalha de hip hop atua de forma a entreter as crianças e demonstrar a importância do trabalho em equipe, onde as coreografias são ensaiadas e sincronizadas, ou seja, um ajuda o outro em cada passo da dança”, define a ministrante da oficina Jheniffer de Oliveira Pereira.

Isabela Fernandes, 8 anos, que foi uma das destaques da oficina ensaia em casa várias danças. “Foi muito legal participar desta dança de hip hop. Mas eu gosto de todos os tipos de música e gosto de ensaiar em casa as danças que aprendo. Quando crescer quero ser dançarina”, afirma. O secretário de Assistência Social, Eduardo Chico Merêncio, diz que as crianças do CRAS já trabalham com a dança de hip hop durante o ano e ressalta o trabalho coletivo da oficina. “Esta oficina se diferencia pela batalha que foi promovida nesta tarde e mostrou a ajuda que um colega dá para o outro na hora de realizar a coreografia. O hip hop esteve presente nas aulas destas crianças no ano passado e, por isso, também realizamos a entrega de certificados a todos os participantes”, diz o secretário.

As atividades foram realizadas na manhã e tarde desta terça na sede social do Samae de Araranguá, na Lagoa da Serra. Além da batalha de hip hop a criançada participou ainda de brincadeiras na água, continuação da oficina de stand up paddle, orientações de equilíbrio em prancha para a oficina de surfe, que segue nesta quinta-feira, dia 28, e almoço. A primeira-dama do município, Rose Maciel, acompanhou o dia de atividades. “O trabalho da Colônia de Férias de entreter as crianças oportuniza que elas conheçam e tenham acesso a várias ações que talvez não tivessem caso a iniciativa não acontecesse. Elas aprendem modalidades diferentes daquelas já realizadas na escola e percebemos a felicidade estampada no rosto de cada criança. Para nós também é gratificante ver esta alegria e poder proporcionar momentos como este”, emociona-se a primeira-dama.