A Gerência de Saúde da Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá, por meio do Setor de Imunização, anunciam as mudanças no Calendário Nacional de Vacinação que alteram o esquema vacinal contra hepatites A e B, poliomielite, meningite, pneumonia, e HPV, promovidas pelo Ministério da Saúde.

A gerente de Saúde da ADR Araranguá, Patricia Gomes Jones Paladini, reforça que as alterações tem comprovadamente grande eficácia na proteção contra as doenças e que principalmente os pais devem ficar atentos às mudanças, para garantir a proteção dos filhos na hora da vacinação, feita nas Unidades de Saúde de cada Município.

O responsável pelo setor de imunização/sala de vacina da Gerência de Saúde da ADR, enfermeiro Nilo Humberto de Souza e a enfermeira da epidemiologia, Valdete Schuelter Tartare, explicam que as mudanças que foram orientadas pela equipe técnica da Divisão de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde e já repassadas aos Municípios da área de abrangência da ADR Araranguá, começaram a vigorar neste mês de janeiro, motivadas pela alteração da situação epidemiológica e atualização na indicação das vacinas.

As alterações são específicas para cada uma das vacinas. No caso da Hepatite B, foi ampliada a oferta para toda a população independente da idade ou condição de risco. Em relação à Hepatite A, houve a alteração para a administração da vacina de 12 para os 15 meses de idade (até os 23 meses), para reduzir o número de vacinas injetáveis aos 12 meses.

No caso da poliomielite, antes, a imunização era aplicada em três doses: a vacina injetável (VIP) aos 2 e 4 meses de idade e a vacina oral (VOP, também conhecida como "gotinha") aos 6 meses. Duas doses de reforço estavam previstas aos 15 meses e aos 4 anos, ambas com a vacina oral. O que mudou agora é que a terceira dose da vacina passa a ser injetável, em vez de oral. A versão oral da vacina continua sendo indicada para os reforços aos 15 meses e 4 anos.

Já na vacina pneumocócica 10 valente, contra pneumonia, o esquema básico terá duas doses (aos 2 e 4 meses) e reforço preferencialmente aos 12 meses. Para as crianças de 1 a 4 anos, não vacinadas anteriormente, será administrada dose única. Antes era aplicada em três doses - aos 2, 4 e 6 meses de idade - mais um reforço entre 12 e 15 meses.

Na vacina meningocócica C, contra a meningite, o esquema básico permanece com duas doses, aos 3 e 5 meses de idade, e o reforço passa a ser indicado para os 12 meses de idade (antes era aos 15 meses). Para as crianças de 1 a 4 anos, não vacinadas anteriormente, também será administrada dose única.

Houve também mudança no esquema vacinal contra o HPV (papiloma vírus humano), que antes era aplicada em três doses. Agora, são apenas duas doses com intervalo mínimo de 6 meses para meninas de 9 a 13 anos. Apenas as mulheres de 9 a 26 anos com HIV deverão continuar recebendo as três doses (0, 2 e 6 meses).