Nas últimas semanas, as autoridades de saúde de Balneário Arroio do Silva, têm intensificado as ações de combate à dengue. O município ainda não tem registros de focos  do mosquito e nem de pessoas com os sintomas da doença, mas está investindo na prevenção para evitar a infestação do inseto. Profissionais da Vigilância Epidemiológica e das Equipes de Saúde da Família (ESF’s) realizam um trabalho preventivo de caráter permanente na cidade.

A principal orientação é eliminar todos os focos de proliferação da doença não deixando nos quintais e logradouros recipientes que possam acumular água parada e servir de criadouro para o mosquito aedes aegypti.

Em entrevista à Revista W3, o secretário de saúde do município, José Luiz Oliveira, o Juquinha, detalhou algumas ações que estão sendo realizadas com a finalidade de evitar que o município litorâneo seja tomado pelo mosquito.

Força-tarefa para espantar o mosquito da dengue

Uma verdadeira Força-tarefa, está sendo realizada e envolvendo outros setores da prefeitura para evitar uma infestação . O setor de tributação da prefeitura está notificando proprietários de terrenos com mato alto para realizarem a limpeza e conservá-los limpos. “Do contrário, esclarece a municipalidade que, por tratar-se de uma questão de saúde pública, a única alternativa será agir nos rigores da lei, aplicando a estes, as sanções previstas no Código de Postura do município,” pontuou Juquinha.

Conforme o secretário, o alerta máximo se dá também em decorrência da confirmação pelo Ministério da Saúde de que o município também litorâneo de Passo de Torres está infestado pelo aedes aegypti, o mosquito que transmite a doença. Juquinha explica ainda, que outra preocupação é quanto a relação do Zica vírus (também transmitido pelo aedes aegypti) e os casos de microcefalia registrados no país. Em Arroio do Silva cinco pontos estratégicos de coleta e 23 armadilhas estão sendo monitoradas constantemente.

Embora, o Zica costuma evoluir de forma benigma – com sintomas como febre, coceira e dores musculares, é a associação do vírus com outras doenças que causa maior preocupação. “Cuide de seu quintal e faça sua parte. Se não existir mosquito, não haverá doença e nunca é demais alertar, pois os casos só aumentaram devido o descuido da população,” informou.

Vistorias caçam irregularidades sanitárias

Ainda integrando a Força-tarefa,  servidores das secretarias de Obras e Planejamento, juntamente com fiscais da Vigilância Sanitária, estão vistoriando locais que foram alvo de denúncias onde moradores estariam, despejando o esgoto doméstico em via pública e até na beira-mar. Entulhos e dejetos também descartados de forma incorreta, são alvo desta operação que somente nesta terça-feira, dia 12,  fiscalizou  cinco pontos denunciados. Juquinha pede que a população use a ouvidoria e denuncie os casos à secretaria municipal de saúde. O Arroio do Silva é o único município com menos de 10 mil habitantes que possui este canal direto de comunicação com o usuário do sistema público de saúde.

Como denunciar:

Para denunciar basta ligar para 48- 3526 0339 ou 3526 2801