Ele tem apenas um ano e 10 meses de vida, mas já trava uma difícil batalha pela vida e apesar da curta idade, sente na pele os reflexos da precária e deficiente saúde pública ofertada à população do Vale do Araranguá . O pequeno Daniel Conforti Coimbra, morador de Balneário Arroio do Silva possui Síndrome de Down e desde os primeiros dias de vida, recebe acompanhamento de vários médicos. Segundo os pais, Silvia Conforti Coimbra e Daniel De Castro Coimbra, o bebê que possui ainda três irmãs, enfrenta uma rotina puxada de idas e vindas aos consultórios médicos e hospitais.

Uma vez ao ano, consulta com a geneticista e o neurologista, uma vez ao mês visita o pediatra e à cada três meses precisa visitar o cardiologista, pois quando tinha sete meses de vida, já precisou realizar sua primeira cirurgia, para fazer total correção do canal átrio-ventricular. Semanalmente o pequeno guerreiro faz consultas com a fonoaudióloga, já a fisioterapia é realizada três vezes por semana.

O garotinho que frequenta a Apae em balneário Arroio Do Silva já obteve evolução, no entanto prestes a completar dois anos, ainda não consegue caminhar e possui outros sérios problemas que afetam diretamente sua saúde. Segundo a família, ele tem imunidade baixa e por conta disso, já teve pneumonia seis vezes. Também foi diagnosticado com otite, o que lhe rendeu nada menos do que nove infecções. “Atualmente ele usa aparelhos auditivos para ajudar na estimulação, mas o médico disse que é preciso operar urgentemente o ouvido para curar a infecção de vez porque é o acúmulo das secreções que dificultam a audição,” revela a avó do garoto em entrevista à Revista W3.

De acordo com a família, a cirurgia, se realizada pelo Sistema Único de Saúde-SUS, demoraria mais de um ano para ocorrer. Preocupados com a saúde do garoto e com a possibilidade do menino ficar surdo, os familiares correm contra o tempo para arrecadar os valores necessários que irão garantir a cirurgia na rede privada.  “Infelizmente o hospital mais próximo da onde moramos também não oferece todos os equipamentos necessários para realizar a cirurgia. Como há urgência em realizarmos, o mesmo otorrino que acompanha o caso, nos informou de que através do plano particular e em outro hospital da região seria possível na segunda semana de dezembro. Estamos correndo contra o tempo,” revela.

Campanha na internet

A família lançou uma campanha na internet para arrecadar recursos. O valor do procedimento é de R$ 4 mil reais, mas até agora os valores arrecadados não ultrapassaram a casa dos R$200 (duzentos reais). A família reforça o pedido: "Estamos contando com toda à ajuda possível, pois essa cirurgia é de extrema importância para nosso pequeno guerreirinho Danielzinho. No momento minha família não tem condições financeiras de arcar com todos os custos. A quem se interessar em ajudar ou até mesmo conhecê-lo pedimos que entre em contato  pelo face que lhe passaremos todos os dados e informações. Desde já agradecemos à todos pela atenção,”

Como colaborar:

Banco: Bradesco

Conta: 0047831 8

Agência: 0331 0

Nome: Silvia Letícia D R Conforti (mãe do Daniel)

Telefone para contato: (48) 3526-1215 / (48) 9626-5728