Aconteceu na noite da última quarta-feira, 23, a confraternização da APROC – Associação de Proprietários de Caminhões de Araranguá e Região. A festa, que aconteceu na sede da entidade sem fins lucrativos, no bairro Sapiranga, em Meleiro, reuniu cerca de cem associados, e foi regada a churrasco e muita animação.

Segundo o administrador e 1º tesoureiro da APROC, Marcos Patrício, a reunião teve por objetivo comemorar o primeiro aniversário da entidade, que soma hoje 220 associados e oferece suporte a 300 caminhões. Também foram entregues a dois associados um caminhão Scania 113 e um Iveco 410, demonstrando o cumprimento dos compromissos assumidos pela entidade com seus associados. Neste primeiro ano de atuação, a APROC, que tem entre seus objetivos oferecer cobertura patrimonial, suporte na segurança, construção de parcerias para a aquisição de insumos referentes ao uso dos caminhões e parcerias para serviços de manutenção dos brutos já efetuou três atendimentos de grande monta, equivalentes a R$ 400 mil recuperados, e trouxe dezenas de soluções para demandas menos críticas aos associados, proprietários de veículos de carga.

Grande parceria – Há 45 dias, Sandro Medeiros Rocha, 43, já teria percorrido mais de 2 mil Km com seu bruto carregado, saído de Mato Grosso, e contava as horas para chegar ao destino – São Bento do Sul, SC, há 300 Km de Campo Largo, PR, onde tudo aconteceu.

O caminhoneiro foi surpreendido por bandidos na estrada, encapuzados e armados, que o obrigaram a abandonar o caminhão e seguir com eles: “Fiquei preso, em cárcere privado, por dois dias, sem saber se era noite ou dia. Pensei que ia morrer”, conta o caminhoneiro, que diz que em 25 anos de profissão, esta foi a primeira vez que foi roubado.

Enquanto ele permanecia nas mãos dos bandidos, na central de controle da APROC, o sinal vermelho foi acionado: “Percebemos que o caminhão do Sandro permanecia no mesmo ponto há alguns minutos, e isso nos deixou em estado de alerta”, conta o presidente da associação, Iverton Perdona Costa, após o alerta, passou a buscar a localização do caminhoneiro, sem sucesso: “Eles retiraram o rastreador, e por isso o sistema mostrava meu caminhão parado. O veículo nem a carga foram recuperados, mas eu recebi o suporte emocional e material que eu precisava, e agora posso começar de novo”, diz Sandro, que ontem recebeu um caminhão similar ao veículo roubado, com algumas vantagens: o veículo adquirido com a parceria da associação é três anos mais novo e foi totalmente reformado para garantir que Sandro volte a pilotar seu bruto e faturar pelas estradas do país. “Se fosse um seguro convencional, meu prejuízo seria enorme e talvez eu não pudesse mais trabalhar. Mas graças ao suporte da associação, que é bem flexível nas negociações e cobra uma taxa bem mais barata, eu posso voltar a sustentar minha família. O susto que eu levei não vou esquecer, mas esse apoio que recebi da associação diminui em muito esse meu sofrimento”.

Além do caminhão recuperado para que Sandro possa voltar a trabalhar, a APROC também entregou o IVECO 410 ano 2011 a Transporte Mazetrano, que teve seu caminhão envolvido em acidente ocorrido em novembro do ano passado, onde o veículo foi parcialmente destruído. Através da Associação, o bruto passou na oficina mais de dois meses, e ontem foi entregue intacto e completamente reformado para seu proprietário.

Para conhecer mais e participar da APROC, acesse o site www.aprocsc.com.br ou pelo fone (48) 5524-9347.