A palavra Debutante vem do Francês e significa "estreante". Ela  é utilizada para designar a adolescente que completa 15 anos de idade. O Baile de Debutantes é um ritual de passagem para as meninas que são apresentadas para a sociedade. Esse era um costume que teve suas origens nas famílias nobres de antigamente. Depois do baile, as moças passavam a vestir roupas mais adultas, algumas tinham permissão para namorar e participar de conversas mais importantes.

Rosemar Maciel tem ótimas lembranças dos bailes que debutou, em 1977. Ela participou no Araranguá Tênis Clube e no UCCA. "Havia muitas coisas na época que continuam iguais até hoje como o pôster, os ensaios, nós também ganhávamos uma jóia, participávamos de coquetéis. O que mudou é que não ganhávamos passeio. Lembro que nas reuniões, os dirigentes escolhiam o patrono e a patronesse, o dia do baile, os detalhes e depois comunicavam às famílias”, explica.

Outro ponto alto de antigamente era a presença importante do convidado especial. "Ele dançava com todas as meninas. No baile, tivemos a presença do ator Roberto Pirilo, na época, galã das telenovelas. O que teve de mais especial foi a presença dele. Uma pessoa super simples, que tratou a gente muito bem. Tudo era meio mágico, muito lindo, mas aos 15 anos, a presença do ator foi muito empolgante”, lembra.

Em 1977, participavam do baile de debutantes somente as filhas de sócios dos clubes. “O custo era bem alto, mas era a realização de um sonho. Foram noites muito especiais. Meu pai estava muito feliz, ele não abria mão de debutar as três filhas. Quem fez os vestidos foi minha mãe. Eles podiam ser coloridos na época, mas era muito difícil, a maioria escolhia o branco. Foram noites inesquecíveis para mim. Contando, me lembro como se fosse hoje", afirma.

O mesmo sonho  foi vivenciado pela juíza de Direito Débora Driwin Rieger Zanini. Ela debutou em 1985, também no Araranguá Tênis Clube. "Tínhamos as reuniões de apresentação, coquetéis e passeios. Tudo era feito com muita preparação e carinho. Fomos para Gramado, Canela e Caxias do Sul. As patronesses também proporcionaram um lindo passeio para Gravatal", relata.

Ainda segundo Débora, a grande noite era muito parecida com a que acontece atualmente.  "Todas nós sonhávamos com uma noite perfeita junto de nossas famílias, pares e amigos. Os vestidos eram lindos, de tecidos nobres, bordados, brancos e muito caprichados", conta.

Além do baile, as meninas participavam de outros eventos sociais. "Semelhante aos dias atuais, o clube preocupava-se em preparar um evento completo e perfeito, para que debutantes, pais, pares e padrinhos ficassem à vontade e satisfeitos, aproveitando todos os momentos antecessores ao baile. A diferença é que na época era tudo mais simples. Hoje há mais sofisticação. Porém, era lindo da mesma forma".

Sobre a melhor recordação, a juíza relata que foram os preparativos. "A escolha do vestido, a emoção do baile e do desfile. Foi tudo muito lindo".

O sonho continua: de debutante a Patronesse

Débora Zanini passou por outra experiência memorável. Ela foi patronesse em 2011. "Foi uma das maiores emoções da minha vida. Uma dádiva, uma alegria indescritível. Serei eternamente grata à Diretoria do Grêmio Fronteira por uma honra desse quilate.  Jamais esquecerei os momentos maravilhosos que passei junto de minhas afilhadas, as quais amo do fundo do meu coração, e da diretoria do Clube, hoje meus amigos. Não há palavras para descrever a emoção que senti e ainda sinto ao recordar de tantos momentos perfeitos".

Para ela, a noite foi especialmente marcante. "Desde o dia em que recebi o convite para ser patronesse, passando pelos eventos e viagem,  até a data do baile. Tudo foi inesquecível. Sou muito grata por tudo, a todos. Estes eventos ficarão eternamente  em minha memória e será para sempre uma grata e terna recordação", ressalta.

Débora costuma frequentar o famoso baile até hoje. "Se estou na região, costumo ir aos Bailes de Debutantes. Aliás, digo com toda a certeza e convicção que o baile é uma noite mágica. Uma tradição que nunca deveria acabar. Recomendo a todas as meninas que, se tiverem oportunidade, debutem. Vale muito a pena, de verdade. A emoção é única, impossível de  ser explicada, apenas sentida", finaliza.