A forma adequada de fazer a rastreabilidade dos produtos agrícolas foi repassada aos produtores rurais, nesta terça-feira, 20, em Forquilhinha. O técnico da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Antônio Nascimento de Oliveira, fez o treinamento de como utilizar o sistema durante o encontro promovido pela Secretaria de Agricultura de Forquilhinha em parceira com a Epagri.

A rastreabilidade de vegetais frescos e frutas no Brasil é uma exigência do Ministério da Agricultura (Mapa) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que, pela Instrução Normativa (IN) nº 02/2018, busca identificar os produtores e saber como foram cultivados os alimentos. “Essa IN requer a rastreabilidade dos alimentos, do campo até a venda para o último ente da cadeia produtiva. É uma forma de trazer mais segurança alimentar”, conta o técnico agrícola da Secretaria Municipal de Agricultura, Juliano Trindade.

Em Santa Catarina, os produtores têm à disposição um sistema que possibilita a rastreabilidade de forma prática e simples. A plataforma se chama e-Origem e está disponível gratuitamente no site da Cidasc. O sistema gera o cadastro do produtor primário e da sua produção, para qual será gerado um Código específico para a rastreabilidade de seus produtos. Também possibilita imprimir o caderno de campo e oferece exemplos de etiquetas e do cartaz para expositor.

A Secretaria Municipal de Agricultura de Forquilhinha e a Epagri permanecem abertas para o esclarecimento de dúvidas e a capacitação dos produtores que precisam se adequar. O telefone da Secretaria é (48) 3443 4128, e o sistema e-Origem está disponível para consulta e introdução a rastreabilidade no site http://www.cidasc.sc.gov.br/e-origem/

Fonte: Assessoria de Imprensa