Após o aumento atípico nas faturas de energia por todo o estado, e diversas denúncias registradas no Procon, o Ministério Público decidiu apurar a suposta cobrança abusiva nas contas de energia e pede esclarecimentos à Celesc.

Em nota, o MPSC diz que o promotor de Justiça Eduardo Paladino, instaurou, na última quinta-feira, 24, um inquérito civil para investigar os motivos do aumento excessivo em todo o estado na fatura do mês de janeiro. Além de requisitar informações para a Celesc, também foram agendadas para segunda-feira, 28, uma reunião com o Procon Estadual, o de Florianópolis e a Secretaria de defesa do Consumidor da Capital para alinhar as investigações.

"Há casos em que a conta triplicou de valor. É evidente que a fatura aumenta naturalmente nesse período, mas é preciso analisar por que esse aumento exagerado'', explica Paladino, que não descarta a possibilidade de uma perícia por amostragem em alguns medidores. A perícia pode ser feita pelos técnicos da própria Celesc ou pelo Centro de Apoio Operacional Técnico (CAT) do MPSC.

Segundo Paladino, os consumidores não estão acreditando no registro. ''A conta é matemática, mas temos que verificar se o equipamento registou o real consumo. Por isso, temos que buscar essas informações tecnicamente'', explica o Promotor de Justiça, que vem recebendo diariamente uma série de reclamações de consumidores.