"A Associação Empresarial de Criciúma (Acic) se solidariza com a paralisação dos caminhoneiros. A política de preços dos combustíveis tem onerado a cadeia produtiva industrial e do agronegócio e elevado os preços dos produtos ao consumidor final.

O movimento traz à tona umas das principais reivindicações dos empresários brasileiros, a desoneração de tributos. A Acic defende as medidas de redução de impostos que incidem sobre os combustíveis como o PIS/Cofins e a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).

Entretanto, o movimento tem provocado prejuízos incalculáveis para o setor produtivo, paralisando a produção e, por consequência, afetando o faturamento das empresas num momento econômico tão delicado, condição que afeta toda a população. Para isso, esperamos que o Governo Federal encontre uma solução que atenda não só aos anseios dos caminhoneiros, mas de toda a sociedade brasileira".

Fonte: Deize Felisberto