Das águas límpidas e transparentes ao verde da vegetação. Recantos bucólicos quase selvagens que escondem belezas naturais encantadoras. Um cenário lindíssimo que atrai amantes da natureza. Prepare-se para conhecer Morro Grande. Um município encantador que se destaca pelo seu imenso potencial turístico.

Pegamos carona no 1º Famtour organizado pela Associação dos Municípios do Extremo-Sul Catarinense- Amesc e fomos desvendar os mistérios e os encantos desta terra abençoada por deus e linda por natureza. Segundo a coordenadora de turismo da Amesc, Cristiane Bilessimo, a iniciativa visa oferecer conhecimento às operadoras receptivas, departamento de marketing dos shoppings e aos próprios municípios que integram o roteiro Caminho dos Canyons. “ A realização do Famtour é uma sementinha que plantamos e aguardávamos para colher, pois você só consegue vender a região quando os municípios estão integrados e este tour de experiência e familiarização vem para cumprir com este objetivo. Nós queremos que as operadoras que atuam com turismo receptivo na região, visualizem aquilo que temos de melhor para projetar nossa região e trazer muitas turistas pra cá. Depois de conhecer melhor e se encantar com estes lugares, fica mais fácil vender a região para turistas de fora” conta.

Cristiane explica ainda, que o Famtour será realizado pela primeira vez em todos os quinze municípios que compõe o roteiro Caminho dos Canyons e o primeiro à realizar este projeto foi Morro Grande.

Embarque nessa viagem

Durante o caminho até o nosso ponto de partida, paisagens de encher os olhos. O que torna o passeio ainda mais convidativo é o trajeto. Todas as estradas que levam até o interior do município são asfaltadas ou pavimentadas.

Já no local, conhecemos a hospitalidade dos Morro Grandenses. Quem nos recebeu foi o responsável pelo turismo em Morro Grande, o engenheiro agrônomo Eder Daltoé.

Para conhecer mais de pertinho todo essa exuberante natureza, nada melhor do que um passeio à moda antiga. E foi de trator e carretão que nos deslocamos às cachoeiras e trilhas de Morro Grande. Na boleia, seu Souvenir Longaretti, que há mais de nove anos se dedica ao turismo em Morro Grande “Fui o primeiro e continuo sendo o único no município a realizar esta atividade. Levo os turistas de trator para conhecer os pontos turísticos e cachoeiras, pois temos muitas aqui no município,” contou o empreendedor que junto da família, mantém um restaurante que serve gastronomia típica na comunidade de Três Barras.

Descortinando paisagens

No caminho um cenário encantador. Pela estrada de chão seguimos até a próxima parada. Os campos verdejantes contrastam com o marrom das pedras da estrada. São aproximadamente 20 minutos de trator, contemplando um cenário fascinante. E a galera estava animada. “Conhecendo assim de pertinho realmente fica mais fácil formatar pacotes turísticos e vender para os turistas. A agência de viagens e turismo Grand Canyon, agora com sede em Araranguá, aplaude esta iniciativa e pretende fazer deste projeto um bom instrumento para comercializar pacotes, explica Fúlvia, dona da operadora e que participou do Famtour.

O encontro com uma maravilha da natureza esculpida por Deus

O barulho do trator ficou para trás. O som agora é outro.... bem mais suave. Pelas trilhas de mata fechada o barulho é dos pássaros e outros animais que fazem parte da fauna preservada. Nosso destino é a Cachoeira do Bizungo, um grande paredão rochoso que forma quedas d’agua de mais de 110 metros. “Chamam assim porque há um tipo de vespa no alto dos paredões, com este nome,” explicou  Daltoé, Coordenador de Turismo Morro Grande.

O trajeto é cheio de surpresas. E olha só o que encontramos pelo caminho. Tocas de animais pré-históricos que viveram na época dos dinossauros. “Este buraco equivocadamente chamado de Furnas, são indícios de tatus que viveram no tempos dos dinossauros. Observem eu há galerias profundas. Segundo pesquisadores, os tatus que habitavam estas terras chegavam a pesar 400kg. Nossa região é infestada  destes buracos, de animais que viveram aqui no período pré-cambriano,” contou Luiz Fernando Soares – Técnico em Turismo

E a caminhada continua. A cada passo, uma nova descoberta e a paisagem você já percebeu pelas fotos né,  vale cada gotinha de suor! E depois de 20 minutos de caminhada, chegamos à tão aguardada Cachoeira do Bizungo. O cenário é lindíssimo e atrai amantes da natureza.

Desvendando novos lugares

Hora de voltar e descortinar outras paisagens. Para a empresária de turismo Adriana Hoff Minatto, é preciso valorizar as potencialidades da região. “Nossa região é muito linda e merece esta atenção. Precisamos mostrar aos mundo os lugares encantadores que nós temos,” explica.

Depois de visitar as quedas d’agua e caminhar por mais de 20 minutos dá aquela sede né¿ A água cristalina que brota da terra, vai saciando a sede de quem deixou a preguiça de lado. A receptividade fica por conta de dona Aguida e seu Vilson Peruchi. O casal é proprietário de uma pousada e de forma confortável, recebe hóspedes que vem em busca de descanso em meio à natureza.

Nosso passeio incluiu visita a outros pontos turísticos. Conhecemos mesmo de longe, o pico mais alto do município, o Realengo. Ele tem mais de 1250 metros de altitude e inspirou o livro Prisioneiro da Montanha.

Depois de muita aventura, o jeito foi repor as energias e nada melhor do que um saboroso almoço. No Restaurante Longaretti, a deliciosa gastronomia rural é posta à mesa e faz a alegria de turistas e visitantes.

Isso foi só um pouquinho de Morro Grande. A cidade tem muitos encantos e infinitas atrações. Então aproveite e aventure-se nesta terra onde a natureza é exuberante e o povo é hospitaleiro. A matéria completa você vê na próxima edição do Jornal W3 Semanal.