O dia seguinte ao episódio de desabamento da cobertura, devido aos problemas estruturais do Ginásio de Esportes, localizado na Praia do Golfinho, foi de muito trabalho de parte da Defesa Civil Municipal e Secretaria de Obras do município. A área de isolamento foi aumentada no sentido sul, próximo da Capela Mortuária para evitar novo desabamento, desta vez da parede do ginásio que inspira cuidados. A Administração Municipal de Balneário Arroio do Silva estava envidando esforços para concluir a obra do Ginásio de Esportes da Praia dos Golfinhos, que foi abandonada ainda na gestão anterior, mais precisamente no dia 08 de dezembro de 2016.

A obra que foi interditada pela Defesa Civil Municipal seria retomada com o projeto de re-orçamento, que incluiria a parte de alvenaria e a cobertura do empreendimento. “O projeto estava pronto para ser entregue à Superintendência da Caixa Federal e a nossa expectativa era de iniciar os trabalhos no início de 2020. Agora, com o desabamento da cobertura e a estrutura comprometida, vamos aguardar os técnicos da instituição para nos dar um parecer”, revela o Secretário de Administração e Finanças, Wanderlei Nagel.

Processo será enviado aos MPs Estadual e Federal

O Procurador Jurídico do município, Daniel Menezes de Carvalho Rodrigues, disse que a sindicância para apurar as irregularidades da construtora encarregada da obra, foi concluída e, que cópias do processo serão remetidas para ao Ministério Público Estadual e Federal. “São problemas graves que devem ser apurados pelas autoridades competentes e os verdadeiros culpados punidos, como espera a comunidade. Na verdade o prefeito Mineiro pegou uma batata-quente na mão e em momento algum foi omisso neste período. Foram feitas licitações e as empresas não quiseram se candidatar diante do quadro que se apresenta a obra”, disse.

“Para deixar muito claro para a população sobre a responsabilidade de quem é o culpado por ter chegado a essa situação. Essa obra foi projetada para durar pelo menos 50 anos, a gente sabe que é uma estrutura metálica que foi projetada para beira de praia e que deveria ter uma boa galvanização, entre outros itens, a perícia técnica apurou inúmeros defeitos. Então esse argumento de que a obra não resistiu por falta de manutenção não procede, houve vício na construção. Surgiram fatos muito graves, de crime e os culpados serão responsabilizados na forma da lei”, frisa Procurador Jurídico.

Diante da conclusão da sindicância, o prefeito Juscelino da Silva Guimarães, o Mineiro, determinou a abertura de um PAAR – Processo Administrativo de Apuração de Responsabilidade, contra a construtora do ginásio de esportes.    

Fonte: Assessoria de Imprensa