Os moradores da Rua Pedro Rocha, que convivem diariamente com o tráfego de dezenas de caminhões transportando basalto (pedra britada) extraído do Morro Maracajá, terão atenção especial a partir desta semana. Os veículos pesados serão obrigados a reduzir a velocidade, respeitarão horários de descanso dos moradores e passagens elevadas de pedestres serão construídas estrategicamente para reduzir o impacto da atividade econômica no cotidiano das famílias.

A situação foi debatida no gabinete do prefeito Arlindo Rocha, que após receber queixas da população diretamente afetada pela atividade econômica, convocou moradores da Rua Pedro Rocha, e vizinhanças, e dirigentes da empresa Sul Brasileira de Mineração (SBM), integrante do grupo Setep Construções. Objetivo foi debater a situação e encontrar alternativas para minimizar os efeitos do tráfego pesado de veículos, uma atividade que existe há quase 50 anos em Maracajá.

,

Entre as partes, com mediação do prefeito, ficou ajustado que será de 20 quilômetros por hora a velocidade máxima dos caminhões que saem carregados do pátio da empresa de mineração e percorrem a Rua Pedro Rocha em direção ao Acesso Norte. O horário inicial das atividades diárias, 7h, não pode ser antecipado e a empresa avalia a possibilidade de eliminar, completamente, as atividades dos sábados, quando as detonações já não são permitidas, fruto de Termo de Ajustamento de Conduta firmado com a Administração Municipal.

Azenir Locks, diretor da SBM Mineração, se comprometeu, ainda, por sugestão do prefeito Arlindo Rocha, produzir panfletos para conscientizar motoristas de caminhões da empresa e de clientes para importância de se reduzir ao máximo o impacto de vizinhança. "As medidas foram racionais, muito bem aceitas pelas partes; acreditamos que as famílias terão melhor qualidade de vida e a atividade econômica da mineração poderá prosseguir sem prejuízos" , finalizou o prefeito.

Fonte: Assessoria de Imprensa