No início do ano letivo, os municípios que integram o território do Projeto Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul promoveram, junto ao Consórcio Intermunicipal gestor do projeto, dois dias de formação para os professores da rede pública de ensino. No total, 626 participantes acompanharam as capacitações.

O coordenador do Eixo de Educação do projeto Fabiano Souza, explica que as formações ocorreram em diferentes datas, no mês de fevereiro, dentro do calendário da Semana Pedagógica de cada um dos sete municípios, e contou com a participação de duas Universidades parceiras do projeto Geoparque. A Universidade do Contestado veio de Mafra, no extremo norte catarinense, com os pesquisadores do Centro de Paleontológico, o CENPALEO, para inteirar os professores com a História Natural do planeta Terra, com ênfase na geologia (tema central de um Geoparque), incrementado por práticas pedagógicas de fácil utilização e uma amostra com fósseis e rochas, para despertar curiosidade nos professores que estiveram presentes nessa etapa do aprendizado.

O segundo dia de formação ficou a cargo da UNESC de Criciúma, com a equipe do LÁPIS (Laboratório de Arqueologia Pedro Ignácio Schmitz), e os professores puderam conhecer melhor a ocupação humana na região dos Aparados da Serra, o trabalho da arqueologia e como esse trabalho voltado ao patrimônio pode ter espaço na escola. A equipe do LÁPIS também realizou oficinas para os professores, envolvendo pinturas rupestres, trabalhos com argila, materiais líticos encontrados na região, arquitetura e bens materiais e escavações arqueológicas.

“Além do conteúdo ser voltado para o ensino no território do Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul, e isso ter grande valia para o desenvolvimento da educação do território, o número registrado de professores das redes públicas foi bastante positivo”, destacou Fabiano.

Fonte: Itaionara Recco