Em duas etapas, provavelmente nos próximos meses de outubro e novembro, até 200 animais entre cães e gatos passarão por procedimentos cirúrgicos, castração ou esterilização, com objetivo de reduzir a população de animais de dua em Maracajá e, com isto, evitar a incidência de animais de transmisores de doenças infecciosas.

A administração municipal de Maracajá realizou concorrência pública para contratação de empresa especializada e venceu o processo na modalidade de "pregão presencial", a empresa MK Clínica Veterinária Ltda, que tem um "Castrabus", totalmente equipado para realização dos procedimentos cirúrgicos conforme as exigências da medicina veterinária, previstas no edital da concorrência pública.

O investimento da administração será de R$ 17,9 mil, se todos os 200 procedimentos forem realizados, informa o diretor de Saúde, Diogo Copetti, comemorando o deságio de quase 30% no preço de mercado deste tipo de serviço. Segundo ele, o próximo passo, com apoio do vereador Valmir Pedro, é a organização de voluntários da cidade, que farão a captura, transporte e cuidados pós-operatório de sete dias dos animais e, finalmente, uma campanha para doação de cães e gatos.

O diretor de Saúde acrescenta que o vereador Geraldo Leandro cedeu o espaço do Imperial Centro de Eventos, às margens da BR-101, em Sangão Madalena, para o período de pós-operatório dos animais, de sete dias. "Os voluntários se colocaram a disposição para monitorar os animais neste período e vamos nos reunir com o grupo, nos próximos dias, para definirmos toda a logística e as tarefas de cada um", finaliza Copetti.

Fonte: Prefeitura de Maracajá