Na manhã desta quarta-feira, 11, o Instituto Maria Schimitt (IMAS), de Araranguá, abriu as portas do Hospital Dom Joaquim de Sombrio para a imprensa e realizou uma avaliação dos primeiros trinta dias a frente da Unidade Hospitalar.

O Hospital que possui 52 leitos, 28 funcionários, foi durante anos alvo de diversas críticas por conta da administração do ISEV, antigo gestor.

Estiveram presentes o diretor do Instituto Maria Schimitt, Ricardo Ghelere, do gestor do hospital, Walmiro Charão e do prefeito de Sombrio Zênio Cardoso.

Ricardo, representante o IMAS avaliou este período de gestão do HDJ. "Avaliamos positivamente este período a frente do Dom Joaquim, temos uma equipe que está se dedicando diariamente para prestar um serviço de qualidade para todos aqueles que procurarem a nossa unidade hospitalar".

De acordo com Ricardo, alguns planos começarão a serem colocados em prática. "Nas próximas semanas iremos dar início ao tratamento na área gastro e aos poucos novas especialidade deverão chegar, como a especialidade em cirurgias bariátricas".

Outro assunto tratado foi sobre a revitalização do hospital. "Estima-se que necessitamos de R$ 1 milhão de reais para deixar o hospital em boas condições, claro, que iremos aos poucos realizar algumas reformas, por exemplo, iniciaremos em breve a pintura da fachada do hospital".

O gestor da unidade hospitalar, Walmiro, afirmou à imprensa que com a chegada da nova gestão os funcionários estão motivados. "É impossível comparar a gestão anterior com a que está sendo feita pelo IMAS".

O prefeito Zênio Cardoso comentou sobre a importância da nova gestão. "Hoje estamos tranquilos pois sabemos do comprometimento do Instituto Maria Schimitt. Atualmente realizamos um repasse de R$ 80 mil pois a saúde é uma prioridade para nós".