A Administração Municipal de Balneário Arroio do Silva, através da secretaria de turismo, pesca agricultura e meio ambiente, realizou a entrega do certificado do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) de Produtos de Origem Animal para a empresa Pescados Lagomar.

O documento possibilita que os produtos de origem animal possam ser comercializados nos estabelecimentos do município. “Além disso, as empresas registradas no SIM passam a ter livre comércio de seus produtos não só no Arroio do Silva como também nos municípios da AMESC, conforme a Lei 17.515, de 27 de abril de 2018, publicada no Diário da Assembleia SC nº 7.270, o que possibilita que as empresas da cidade tenham uma abrangência maior para vender seus produtos”, explicou o fiscal da vigilância sanitária, Alexandre Pacheco. A vigilância sanitária tem o papel de fiscalizar as áreas de manipulação e acompanhar o processo do serviço de inspeção municipal junto com o médico veterinário do município, Márcio Brunelli.

São objetos de inspeção: os animais destinados ao abate, seus produtos, subprodutos e matérias primas; o pescado e seus derivados; o leite e seus derivados; os ovos e seus derivados; o mel de abelha, a cera e seus derivados. Portanto, quem trabalhar com esses produtos e deseja solicitar o certificado do SIM, é preciso entrar em contato com o departamento de agricultura e pesca e com a vigilância sanitária.

A Administração Municipal, através do prefeito Juscelino da Silva Guimarães, o Mineiro, realizou a entrega do certificado do SIM nesta terça-feira, dia 10, no gabinete, para o proprietário do Pescados Lagomar, Jairo Borges. Na oportunidade o empresário agradeceu o empenho e a iniciativa do poder público municipal. “Isso vai nos dar um oxigênio, então, a gente só tem que agradecer. Agradeço ao Alexandre e ao Márcio pelo trabalho, assim como agradeço também ao prefeito Mineiro pela iniciativa e por fazer com que o poder público seja parceiro. São poucos os municípios que tem iniciativa como esta”, registrou.

O ato contou com a presença do prefeito, do fiscal da vigilância e do médico veterinário.

Fonte: Bianca Goulart