Com o propósito de construir juntos um encaminhamento para a criação da Casa Abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica foi realizada na última quinta-feira, 19. uma reunião convocada pela Prefeitura de Torres. O encontro foi provocado pela ação civil pública, ajuizada em 2012 pelo Ministério Público, com prazo para esgotar em julho. Participaram as Prefeitura de Dom Pedro de Alcântara e Mampituba. Como direcionamento do encontro será sugerido ao MP promover uma reunião com todas as sete Prefeituras da comarca. Na reunião ficou destacado que a ação foi realizada quando ainda não havia a criação do Centro de Referência da Mulher Priscila Selau.

O encontro foi coordenado pelo prefeito Carlos Souza, contando com a presença do prefeito de Pedro de Alcântara, Dirceu Machado, acompanhado da assessoria jurídica. De Mampituba estavam as assistentes sociais do município e de Torres ainda se encontravam a coordenadora do CRM, Cláudia Biasi, com a equipe do Centro. Participou ainda da reunião a vereadora Zete Silveira, da Procuradoria da Mulher na Câmara de Vereadores. Na ação, entre outros enfoques, o promotor Vinícius de Melo Lima pergunta-se aonde vai se refugiar a mulher ví­tima de violência doméstica, após o registro policial.

Quando ocorrer a audiência no Ministério Público, também será apresentada uma questão importante sobre a manutenção do CRM. Devido o Centro atender a clientela da comarca, é necessário que todas as prefeituras contribuam para a prestação de serviço. Como será esta contribuição, como valores ou outro tipo de cooperação, será debatida junto com o Ministério. Fazem parte da Comarca, além de Torres, os municípios de Arroio do Sal, Dom Pedro de Alcântara, Mampituba, Morrinhos do Sul, Três Cachoeiras e Três Forquilhas.