O SESI Criciúma promoveu nessa quinta-feira, dia 22, a devolutiva do Workshop Aliança Saúde Competitividade, que tem como objetivo reunir parceiros de diversos setores para colaborarem na construção de ambientes de trabalho favoráveis ao desenvolvimento humano. O projeto foi desenvolvido pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e executado pelo SESI, com o apoio do IEL.

A ação iniciou em outubro de 2016, atingindo quinze regiões do estado que junto aos profissionais do SESI debateram sobre a saúde e segurança do trabalhador da indústria catarinense. As discussões envolvendo 700 profissionais e 380 ações desenvolvidas foram divididas em: cultura para a saúde e segurança, ambiente de trabalho e tecnologias, parcerias público-privada e gestão para competitividade.

“Durante os Workshops ouvimos quais as dificuldades que os empresários tem para promover essas ações. Diante disso, surgiram seis projetos: mobilização da sociedade para uma vida mais saudável, ampliação dos núcleos de saúde e segurança do trabalho, gestão de saúde e segurança do trabalho (SST) e adequação ao E-social, trilhas de capacitação em saúde e segurança, um portal de inclusão de pessoas com deficiência e o financiamento e incentivos para SST”, explica a especialista em saúde e competitividade do SESI, Franciela Santin.

O SESI busca contribuir para ambientes de trabalho seguros e saudáveis, e, acredita que colaboradores mais saudáveis são mais produtivos. “É um movimento para mobilizar todos os órgãos envolvidos, como empresários, associações comerciais, indústrias e trabalhadores, e assim começarmos a discutir o assunto. Evitando que ocorram mais acidentes de trabalho, e, também buscando entender o motivo disso ainda ocorrer”, pontua, a diretora do SESI Criciúma, Jovilde Parisotto.

Os desafios e perspectivas nesta área, em cada região do Estado, também foram acompanhados pela FIESC. “Em Criciúma foram 45 participantes. Ao longo dos encontros foram surgindo ideias que, ao final foram compiladas. A FIESC, assim como as indústrias, estão preocupados com a saúde e segurança do trabalhador”, complementa o Vice-Presidente Regional Sul da FIESC, Diomício Vidal.

Fonte: Clara Fernandes