O secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, participou na última sexta-feira, 7, de uma audiência na Superintendência Regional do DNIT, em Florianópolis, onde foi recebido pelo chefe de serviços de engenharia do Departamento, engenheiro Névio Carvalho.

O secretário buscou informações sobre as obras previstas na Rodovia 285, conhecida como Serra da Rocinha. Ele conheceu os projetos elaborados e desenvolvidos pelo órgão, divididos em dois lotes. O Lote 1 compreende do entroncamento da BR-101 em Araranguá até a entrada de Timbé do Sul, com extensão de 33,8km e o Lote 2 é compreendido entre Timbé do Sul e a divisa com o estado gaúcho, com extensão de 22 km. O Lote 2 (trecho de 22 km entre Timbé do Sul até a divisa com o Rio Grande do Sul) já foi federalizado e a obra de pavimentação segue em ritmo acelerado, inclusive com a possibilidade de iluminação eólica/solar para o local.

Segundo Heriberto, o Lote 1, trecho de 33,8 km entre a localidade de Sanga da Toca, em Araranguá, até a entrada do Município de Timbé do Sul, hoje é estadual, e será federalizado. O DNIT já fez a solicitação da federalização ao Governo de Santa Catarina, e o engenheiro explicou que o próximo passo é que o Estado encaminhe um projeto para a Assembleia Legislativa, passando a Rodovia SC, de domínio do Estado, para BR, de domínio federal.

Heriberto explica que após a federalização, o DNIT, que fez o projeto executivo de construção da rodovia neste trecho, irá realizar algumas atualizações. “O momento de discutir como será a Rodovia para os Municípios de Ermo, Turvo, Araranguá e Timbé do Sul é agora. Precisamos definir se a estrada irá passar no centro de Turvo e de Ermo, bem como o trevo que será feito na chegada da 101 em Sanga da Toca”, disse.

Schmidt ainda disse que o projeto executivo prevê a construção de uma nova ponte entre Ermo e Turvo e o alargamento do acostamento entre Turvo e Timbé do Sul, que hoje possui trechos de 1 metro aproximadamente. A Rodovia prevê largura de 7 metros de pista, e 2 metros de acostamento. “Temos que discutir como ficam nossas máquinas agrícolas, já que a economia da Região depende da agricultura”.

O secretário da ADR destaca que também está prevista no projeto uma passarela em frente à Escola Jorge Schutz. “Isto no meu entendimento é dispensável, porque podemos mudar a entrada da escola estadual para a Rua Jorge Lacerda. O DNIT aceita discutir o projeto com os Municípios envolvidos após a federalização do trecho”, conta.

Ele concluiu que já solicitou uma audiência o superintendente Regional do DNIT SC, Vissilar Pretto, onde também serão convidados os Prefeitos, Presidentes de Câmaras de Vereadores e representantes de entidades, como ACIVA, entre outras, dos quatro Municípios envolvidos – Ermo, Turvo, Timbé do Sul e Araranguá, para falar sobre o projeto.

Fonte: Leneza Della Krás - Assessoria de imprensa ADR