Vivemos numa sociedade onde aprendemos a exterminar as ervas daninhas, como beldroega, serralha, entre outras, por causarem transtornos no jardim, horta ou na lavoura. Porém, estudos mostram que este comportamento pode estar desperdiçando uma ótima erva, tanto para o uso medicinal, quanto alimentar.

Esse foi um dos objetivos da Oficina de Culinária com Reaproveitamento de Alimentos, realizada em duas etapas, nos dias 4 e 9/12 (Duas turmas), sendo uma parceria entre a Epagri – Escritórios Municipais de Jacinto Machado e Meleiro, Pastoral da Criança de Jacinto Machado e secretaria Municipal da Saúde de Jacinto Machado.

DSC07590-300x200.jpg
Foto: Divulgação

A idealizadora do projeto foi a Coordenadora da Pastoral da Criança, Maria Terezinha Marcon Zanatta e ministrada às agentes de Saúde do município, para que as mesmas pudessem aprender e repassar os conhecimentos adquiridos à população atendida pelo PSF (Programa Saúde da Família), ao qual elas atuam.

Assim, juntando-se todas as parcerias, a oficina foi ministrada pelas Extensionistas Rurais da Epagri, Anadilse Alexandre Gonçalves, de Meleiro e Aline Hahn Fernandes, de Jacinto Machado.

O principal objetivo  do curso foi o reaproveitamento de alimentos, cascas, talos e folhas de hortaliças; os farelos, como a Multimistura, da Pastoral da Criança, utilizados nas receitas, a exemplo da massa de beterraba com recheio de batata-doce, arroz de forno com bananas, torta de legumes, maionese alternativa, dentre outras.

Plantas invasoras

Também a inserção na culinária de algumas plantas que possuem um grande valor nutricional e que são pouco conhecidas pela população, como a Ora-pro-nóbis(pereskiaaculeata), uma planta que possui em sua composição uma grande quantidade de vitaminas, como Vitaminas A, B, C, ferro, cálcio e proteínas e é muito fácil de ser cultivada. Também, o manjericão (ocimumbasilicum), fonte de betacaroteno, cálcio e outras vitaminas. E ainda, outras espécies consideradas pela população como plantas invasoras ou ervas daninhas, e que podem e devem ser utilizadas na culinária, como a Serralha (Sonchusoleatus), dentre outras.

"Enfim, o principal objetivo foi proporcionar às participantes obterem mais conhecimentos sobre os cuidados com a alimentação, almejando-se mais saúde e melhor qualidade de vida", frisa a extencionista da Epagri Aline Hahn Fernandes.

“Tudo o que vem para ajudar na prevenção da saúde de nossa população terá o apoio da prefeitura”, destaca a secretária de Saúde Ana Back, que juntamente com os secretários de Educação Valmir Possamai e da Agricultura, participaram do almoço de encerramento do curso.  Para o próximo ano letivo, o secretário Valmir pensa em levar o curso da Pastoral da Criança para as merendeiras das escolas e que seja adotado na merenda escolar.

Participaram das oficinas os integrantes do Programa Brasil Sem Miséria, um programa do Governo Federal, desenvolvido através do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à fome, ao qual a Epagri vem trabalhando com algumas famílias do meio rural.