Rolando Christian Coelho
28/08/2019 09h01

Em Sombrio, tudo passará por Carlo Alano

Rolando Christian Coelho, 28/08/2019

Empresário Carlo Alano (MDB) é a bola da vez para a eleição municipal de 2020 em Sombrio. Fiel escudeiro do prefeito Zênio Cardoso (MDB), embarcou em seu projeto político já no pleito de 2008, deixando a situação e se aliando a um MDB então oposicionista. Zênio acabou sendo derrotado naquela eleição, mas, mesmo assim, Carlo permaneceu fiel ao projeto de mudança que vinha sendo proposto.

Em 2012 Zênio disputou novamente, desta vez sagrando-se vitorioso, a exemplo de 2016, quando conquistou a reeleição. Articulador, Carlo Alano foi um dos responsáveis diretos por trazer para o lado de Zênio um número significativo de apoiadores, que antes faziam oposição ao MDB. Por conta disto, foi apontado já em 2012 como um dos principais responsáveis pela vitória do prefeito eleito.

Por conta do conjunto da obra, Carlo acabou se credenciando como nome natural a sucessão de Zênio Cardoso, com vistas à 2020. Nome que, num curto espaço de tempo, poliria as arestas internas do MDB, diante da eleição do ano que vem, algo que não é fácil de se conseguir diante de qualquer outra indicação.

O único problema da história é que Carlo Alano não quer nem ouvir falar da possibilidade de ser candidato a prefeito, o que acaba criando um cenário adverso dentro do MDB, na medida em que, deste modo, todos os gatos passam a ser pardos no partido. Por conta disto, a vice-prefeita Gislaine Dias da Cunha, do PL, passa a ser o nome mais apropriado da situação para a disputa, caso Carlo não concorra.

Mas não é só o MDB que vive um dilema. A oposição também está de olho no desenrolar dos acontecimentos no ninho emedebista. É que se Carlo Alano for convencido a ser candidato, o Progressistas, de imediato, irá se oferecer para ser vice de Gislaine Cunha, fazendo com que a base política que da sustentação ao prefeito Zênio se rompa. Se isto acontecer, haverá uma total reconfiguração da política sombriense, com as suposições sobre o resultado de 2020 tornando-se inócuos e inodoros. Ou, como dizem pelos botecos, “será briga de cachorro grande”.

PSL tem segurado expansão em novos municípios

Momento é de compasso de espera dentro do PSL, no que diz respeito a composição de novos comandos municipais da sigla. Falta de sintonia na cúpula estadual do partido tem feito com que os projetos de expansão pesselista fiquem engavetados. Por ora, somente o que já está montado tem sido fomentado. A constituição de novos diretórios e mesmo comissões provisórias parecem não estar na pauta. Situação não deixa de ser preocupante, na medida em que vemos 2020 se aproximar de forma galopante. Mas não é só o PSL que passa por entraves internos. Filiados do PSB que tem deixado o partido também estão à deriva. Em princípio permanecem esperando o acerto de Paulinho Bornhausen com o Podemos, para segui-lo. Problema é que a demora está demasiada.

Fusão entre PSB e PDT pode complicar Minotto e Paulinha

Possível fusão entre PSB, PDT, Rede e PCdoB, poderá trazer desdobramentos indesejáveis na política catarinense. O PSB já ameaçou meio mundo de expulsão, por conta do alinhamento de líderes do partido com o PSL do presidente Jair Bolsonaro e do governador Carlos Moisés da Silva. Em Santa Catarina, o deputado federal Rodrigo Coelho e o estadual Nazareno Martins estão na mira da sigla. Já o estadual Bruno Souza pulou fora do partido antes de ser expulso, mas o PSB, agora, quer o seu mandato. Acontece que os deputados estaduais Rodrigo Minotto e Paulinha Silva, ambos do PDT, têm permanecido alinhados ao mandato do governador Carlos Moisés. Caso haja uma fusão entre PSB, PDT, e outros partidos de esquerda, Minotto e Paulinha vão encontrar muita sarna para se coçar dentro do novo grupo.

Gaiola convocará reunião regional do MDB em setembro

Novo coordenador do MDB na região, prefeito de Jacinto Machado, João Batista Mezzari, o Gaiola, irá convocar reunião regional do partido, com os presidentes municipais da sigla, no mês que vem. Objetivo é começar a organizar o MDB do Extremo Sul com vistas ao pleito municipal de 2020. Gaiola foi eleito coordenador, de forma consensual, pelos demais quatro prefeitos do MDB da região, com seu nome sendo abonado, também, pelo ex-coordenador Heriberto Schmidt, e pelo ex-deputado estadual Manoel Mota, que tinham interesse neste posto. Lembrado num primeiro momento para ser o coordenador regional do MDB, o prefeito de Turvo, Tiago Zilli, disse que Gaiola é o nome ideal para a função.

TSE diz que janela de transferência só ocorrerá em 2020

Tribunal Superior Eleitoral já sentenciou: janela para transferência partidária de vereadores que estão cumprindo mandato atualmente só será aberta ano que vem, entre 4 de abril e 3 de maio de 2020. A janela de 30 dias antecede em seis meses a eleição municipal de 2020. Neste período, vereadores que estão exercendo mandatos por um determinado partido poderão migrar para outro, objetivando a próxima eleição municipal, sem risco de perda da função. Esta determinação só muda se algum dispositivo legal for votado no Congresso Nacional até 3 de outubro deste ano, o que é muito difícil de acontecer. Vereadores como Luciano Pires (PSB) e Diego Pires (PDT), de Araranguá, e Daniel Palito (PSB), de Sombrio, que já disseram que vão deixar suas siglas, terão que esperar mais oito meses para isso.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias