Rolando Christian Coelho
17/05/2019 13h57

Moisés abre o governo ao MDB

Rolando Christian Coelho, 17/05/2019

Demorou, mas o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) acabou sucumbindo a pressão do parlamento e abriu seu governo aos que lhes são mais cativos. Pelo menos é isto que se comenta nos corredores do Centro Administrativo do Governo do Estado, em Florianópolis.

Com apenas seis deputados estaduais filiados a seu partido, e sem qualquer perspectiva de conseguir ter seus projetos aprovados apenas na base da conversa, o governador chamou os deputados do MDB para uma conversa de pé de ouvido. Em princípio, conseguiu a garantia de que o projeto de reforma administrativa, que está nas mãos do deputado emedebista Luiz Fernando Vampiro, será colocado em votação sem grandes ressalvas. O MDB também garantiu que vai se esforçar pela aprovação da reforma, através de uma aliança com os velhos aliados de sempre, a exemplo de PSD e PSDB.

Em troca, o MDB teria conseguido a garantia da liberação de emendas, indicação de cargos comissionados, etc e tal, como manda o figurino da má e velha política brasileira. Carlos Moisés parece que finalmente entendeu como funciona a política. Se continuasse enclausurado, muito provavelmente não terminaria seu mandato. Fechado o acordo com o MDB, agora, os demais partidos vêm por gravidade, até que se consiga pelo menos 27 votos na Assembleia, o que garante blindagem total ao governo.

Nada de novo. Alias, esse joguete político, baseado no toma lá, da cá, é mais velho que andar para frente.

PSC lança pré-candidato a prefeito em Sombrio

Mesmo fazendo parte da base aliada da atual gestão municipal de Sombrio, que é comandada pelo MDB, o PSC lançou o nome do dentista Tiago Garcia Margute como pré-candidato ao executivo municipal. Ele é filho do coordenador regional do partido, Jâneo Margute. A possibilidade que envolve a candidatura de Tiago vem endossada pelo presidente estadual da sigla, Narcizo Parisotto, e pelo deputado estadual Jair Miotto, para quem o pré-candidato fez campanha aberta na última eleição. Por certo deve se tratar de um projeto com amplo alicerce, já que ninguém iria acreditar que o coordenador regional do partido lançaria seu próprio filho na fogueira política, meramente por conta de barganhas eleitoreiras ano que vem.

MDB diz que apoio é “para o bem de SC”

Diante da boataria dando conta de que o MDB entraria no governo de Carlos Moisés da Silva (PSL) em troca da liberação de emendas, e de cargos comissionados, líderes do partido se desdobraram na tarefa de amenizar o desgaste que uma situação como esta acaba causando. Em princípio, os deputados do partido afinaram o discurso, ressaltando que o apoio a Moisés é meramente “para o bem de Santa Catarina”. Como de costume, ressaltam que o que for bom para o Estado terá o apoio do partido, e o que for ruim terá a oposição. Problema do MDB é que gente do próprio governo não tem feito questão de esconder que o apoio do partido só foi conseguido depois de uma grande negociação envolvendo liberação de recursos, e indicação de cargos na esfera estadual.

César Cesa diz dar um passo de cada vez

Questionado sobre as tratativas com vistas ao pleito eleitoral do ano que vem, empresário César Cesa, provável candidato do MDB ao executivo de Araranguá, se restringe a dizer que está dando “um passo de cada vez”. Articulador experiente, César tem utilizado a tática de trabalhar nos bastidores, e se silenciar em público. Maior partido de oposição, o MDB tem apostado numa série de situações, que poderão encorpar a candidatura do partido no pleito de 2020 em Araranguá. Uma delas é a indisposição do PT de lançar um nome de peso ao executivo municipal, o que fatalmente fará com que grande parte dos simpatizantes do partido, na Cidade das Avenidas, migre para uma candidatura emedebista.

Tiago Bittencourt descarta candidatura de Santa Rosa

Vereador Tiago Bittencourt, constantemente citado como pré-candidato do MDB à Prefeitura de Santa Rosa do Sul, diz que não tem nenhuma pretensão neste sentido. Em princípio ele diz que não pretende concorrer a nenhum cargo público ano que vem, o que deixa o MDB sulsantarrosense, se certo modo, desfalcado para o embate que se avizinha. Uma ala do partido tem defendido uma aliança com o PSD, do prefeito Nelson Cardoso de Oliveira, que tem uma longa história de filiação emedebista. Caso o PSD lance o ex-vereador e atual Secretário de Governo, Almides da Rosa, como candidato a prefeito, o MDB poderia apoiá-lo. Para isto, no entanto, o PSD precisaria romper com o Progressistas, do atual vice-prefeito Nelmo Emerim.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias