Rolando Christian Coelho
14/03/2019 09h54

Cobalchini presidente do MDB estadual

Rolando Christian Coelho, 14/03/2019

MDB catarinense está pior que biruta de aeroporto. Cada vez que se olha para ele está virado para um lado. Agora, quem quer ser presidente do partido é o deputado estadual Valdir Cobalchini, que há poucas semanas dava a entender que abandonaria a sigla, por descontentamentos com a cúpula estadual do partido, por esta ter apoiado a indicação do deputado Mauro de Nadal (MDB) para a vice-presidência da Assembleia Legislativa. Excluído do processo de escolha da mesa diretora do parlamento, Cobalchini se rebelou. Dois goles de água depois, resolveu se lançar candidato a presidente, diante da convenção estadual que acontece em maio. Diz ter o apoio da bancada estadual para isto. É bom lembrar que senador Dário Berger também tem esta intenção.

Sete comissões na Câmara de Araranguá

Câmara Municipal de Vereadores de Araranguá aumentou de seis para sete suas comissões permanentes. A Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Saúde e Assistência Social foi desmembrada em duas. Os temas concernentes a Educação, Cultura e Desporto dirão respeito apenas a uma comissão, já a Saúde e Assistência Social a outra. Os vereadores Jair Anastácio (PT), Diego Pires (PDT) e Luciano Pires (PSB) serão os responsáveis pela primeira, e os Neno Fontoura (PPS), Diego Pires (PDT) e Pedro Paulo de Souza (PSD) pela segunda. Como já preceitua o velho adágio popular, às vezes “o óbvio tem que ser dito”.

Conta vai para os municípios

Justiça Federal está determinando que prefeituras que são cortadas pela BR 101-Sul arquem com as despesas de iluminação pública da rodovia. Desde que a duplicação da 101 foi concluída, vários trevos e elevados, que na teoria possuem iluminação, permanecem na escuridão, já que ninguém quer assumir o custo da conta de energia. As prefeituras alegam que a conta deveria ir para o Governo Federal, que é que construiu a rodovia e a duplicou. A Justiça Federal, no entanto, entende que iluminação pública é competência dos executivos municipais, que cobra Cosip justamente para bancar este tipo de despesa. Última sentença foi contra os interesses da Prefeitura de Santa Rosa do Sul, que deverá ter que desembolsar mais de R$ 15 mil por mês para cumprir a determinação.

Nomes a sucessão

Nota publicada ontem, dando conta de que o prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva (PP), poderia apoiar qualquer nome a sua sucessão, desde que este estivesse filiado a um dos partidos de sua coligação, acabou gerando uma série de especulações no município. Rapidamente um rosário de sugestões foi ventilado, dentre eles João Stuart Gomes, Enedir Raupp e Toti Cardoso, do Progressistas; Evânio Iris Machado e Nando Joaquim dos Santos do PSD e Jeferson Raupp, do PPS. O prefeito diz que manterá uma postura de neutralidade diante do processo de escolha, dando liberdade para que a coligação que orbita sua gestão opte pelo melhor.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias