Rolando Christian Coelho
08/02/2019 10h50

Câmara de Araranguá está há 25 meses sem conceder diárias

Rolando Christian Coelho, 08/02/2019

Passados dois anos da gestão do presidente da Câmara Municipal de Araranguá, Daniel Viriato Afonso (PP), somados ao mês de janeiro deste ano, o parlamento da Cidade das Avenidas completou 25 meses sem pagar nenhuma diária a vereadores. Esta iniciativa, somada ao corte de outras despesas operacionais, fez com que a Câmara economizasse ao longo deste período quase R$ 2 milhões, recursos reinvestidos em obras, ações e investimento na área da saúde. A bem da verdade, ninguém sentiu falta de vereador indo a Florinópolis sempre que dava na telha. Fica o exemplo.

Dois candidatos à Cersul tentam entendimento

Grupo que vem apoiando a candidatura do empresário turvense Silvino Londero à presidência da Cersul, assim como o que apoia a candidatura do ex-prefeito de Meleiro, Nei Zanette, ao mesmo posto, começaram tratativas objetivando a união de forças em prol de uma chapa que contemple os dois.

Num primeiro momento, nem Silvino, nem Zanette, estão dispostos a abrir mão da primazia de concorrer à presidência da maior cooperativa de eletrificação de nossa região, que está sediada em Turvo, mas que atende outros nove municípios.

Os apoiadores de Silvino defendem a tese de que a presidência deve ficar com alguém de Turvo, já que o município é o maior consumidor de energia da cooperativa, e é onde, também, estão centralizados seus trabalhos administrativos, e grande parte dos operacionais da empresa. Já os que defendem a candidatura de Nei Zanette batem na tecla de que está na hora da Cersul ser administrada por alguém que não seja de Turvo, mas que também tenha bastante representatividade no consumo de energia, o que é o caso de Meleiro, de modo a descentralizar o poder da cooperativa.

Já há proposta para que um aceite ser o vice do outro, algo que até ontem não era cogitado. Todavia, nenhum dos dois quer dar um passo atrás. Em meio a estes desdobramentos, há também as candidaturas já lançadas do ex-prefeito de Ermo, Marcos Leone de Oliveira, o Marquinhos, e do advogado turvense Arnildo Steckert Júnior. Os demais nomes que inicialmente também eram cotados para disputar a presidência já estão nitidamente fora do certame.

Em princípio, o que se observa é que Marquinhos e Arnildo estão bancando candidaturas mais autônomas, ao passo que Silvino e Nei Zanette estão mais ligados a lideranças políticas dos municípios atendidos pela cooperativa. Pela lógica, caso Silvino e Nei não entrem em um acordo, as chances de vitória passam a ser maiores dos candidatos autônomos, ressaltando-se, neste quadro, aquele que estiver mais na rua, batendo de porto em porta, promovendo reuniões setoriais e vendendo a ideia de uma nova Cersul, ainda que a atual esteja muito bem, obrigado.

Três deputados do Sul não assinam CPI da Ponte

Requerimento solicitando instauração de uma CPI para investigar possíveis improbidades nas obras da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, foi protocolado ontem, com a assinatura de 26 deputados estaduais. Do Sul do Estado, assinaram o requerimento a deputada Ada de Luca (MDB), e os deputados Luiz Fernando Vampiro (MDB), Volnei Weber (MDB), Jessé Lopes (PSL) e Felipe Estevam (PSL). Não assinaram o pedido de abertura de CPI os deputados José Milton Scheffer (PP) e Rodrigo Minotto (PDT). O deputado sulista Júlio Garcia (PSD) também não assinou, todavia, por estar na presidência da Assembleia Legislativa, é compreensível que ele prefira se manter neutro, por ora, em relação a este fato.

Progressistas e MDB trocam liderança na Assembleia

Deputado estadual José Milton Scheffer deixou liderança do Progressista na Assembleia Legislativa, que agora será exercida pelo deputado João Amin. O Sul do Estado, no entanto, ganhou a liderança do MDB, através do deputado Luiz Fernando Vampiro, que substituiu Carlos Chiodini, que foi eleito deputado federal em Outubro passado. Ao falarem pela sigla no parlamento, os deputados que exercem a liderança de um partido acabam tendo mais vez e voz, no que diz respeito as suas demandas junto ao Governo do Estado. Como não são poucos os emedebistas que permaneceram no governo de Carlos Moisés da Silva (PSL), Vampiro pode colher bons frutos através de sua nova função.

Governo do Estado gasta 65% dos recursos com funcionários

Santa Catarina é o oitavo Estado do país que mais gasta recursos públicos com folha de funcionários, ativos e inativos, o que inclui os encargos sociais. Nada menos do que 65,10% dos recursos do governo estão comprometidos com esta despesa. Ontem, nove Estados solicitaram autorização ao Supremo Tribunal Federal para que possam cortar salários de servidores, o que, em princípio, é inconstitucional. Em que pese a dura realidade do governo catarinense, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) não endossou esta solicitação ao STF. Estima-se que, ao passo que as finanças dos Estados estão indo, em 2040 todo o serviço público do país estará engessado, com os recursos públicos derivados dos impostos sendo utilizados meramente para pagar folha funcional, aposentadorias e benefícios, e arcar com despesas operacionais corriqueiras. Afora isto, não haverá dinheiro nem para trocar uma telha quebrada de um posto de saúde.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias