Rolando Christian Coelho
18/01/2019 09h55 - Atualizado em 18/01/2019 09h56

Júlio Garcia e MDB já estão fechados

Rolando Christian Coelho, 18/01/2019

Deputado estadual eleito Júlio Garcia (PSD) já está fechado com o MDB para comandar a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. O acerto foi finalizado mediante a condição de que o deputado Mauro de Nadal (MDB) componha como vice na chapa encabeçada por Júlio, que deverá ser consensual entre os 40 parlamentares catarinenses.

Júlio teve sua vida facilitada por três situações pontuais. A primeira diz respeito a unidade de seu partido. É que o atual comando estadual do PSD não fecha com Júlio Garcia, que, durante a campanha eleitoral do ano passado se interpôs ao projeto governamental de Gelson Merisio (PSD). A sigla, no entanto, optou por deixar suas desavenças internas de lado e apostar na unidade.

Paralelo a isto, Júlio Garcia também foi beneficiado pela divisão interna do MDB, que, num primeiro momento convergiu para a candidatura à presidência de Valdir Cobalchini (MDB), mas depois rumou para a de Mauro de Nadal. Estabeleceu-se, ali, uma nítida divisão entre um grupo comandado por Cobalchini e outro por Mauro. Júlio se aproximou de Cobalchini e depois trouxe Mauro a reboque.

O terceiro ato da história foi protagonizado pela inexperiência do PSL, que não teve o poder de articulação necessário para fazer qualquer imposição, mesmo com seis deputados e o governo nas mãos. O conjunto da obra acabou abrindo as portas necessárias para que Júlio Garcia consolidasse seu projeto.

A Mesa Diretora é composta por um presidente, primeiro e segundo vice, e quatro secretários, em ordem hierárquica. Os sete cargos serão ocupados por partidos diversos, facilitando o entendimento entre as principais siglas. O Progressistas terá uma destas sete vagas e, em princípio, ela foi oferecida ao deputado José Milton Scheffer (PP), que preferiu ficar de fora do comando da Assembleia. Caso faça parte da Mesa ele não poderá presidir nenhuma comissão do parlamento catarinense. O deputado, no entanto, pretende emplacar como presidente da comissão de Agricultura da Assembleia e, por isto, já antecipou que não tem intensão de integrar o comando da Casa. Além da comissão de Agricultura, Zé Milton também tem a intenção de emplacar como membro da comissão de Finanças, uma das mais importantes da Assembleia, pois é aquela que dá a palavra final no que diz respeito aos investimentos a serem feitos pelo governo estadual.

Zé Milton diz acreditar na gestão de Moisés

Deputado estadual José Milton Scheffer (PP) está confiante na gestão do governador Carlos Moisés da Silva (PSL). De acordo com ele, “o governador está tendo a grande oportunidade de zerar os erros do passado na política catarinense e começar um novo projeto para o Estado”. Na visão do deputado, no entanto, Moisés precisa ficar atendo a questões que são cruciais para o governo, como é o caso da busca do equilíbrio fiscal e a resolução definitiva das questões ligadas a previdência estadual. “Medidas já tomadas, como a extinção das ADR’s e o início do enxugamento da máquina pública em outros setores já demonstrar que o governador está no caminho certo. Talvez o que falte em sua gestão seja um grande projeto para Santa Catarina, mas isto pode ser construído ao longo de seu mandato”, comenta o parlamentar.

Governador veta projeto de Rodrigo Minotto

Deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) teve vetado pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL) projeto de lei de sua autoria que previa a divulgação da agenda diária do chefe do executivo, e sua vice, secretários de Estado, presidentes de empresas públicas estaduais e presidentes de fundações públicas estaduais. Em seu veto, Moisés justificou que a divulgação cotidiana dos compromissos do comando do governo catarinense poderia colocar em risco a segurança destes e de seus familiares. Minotto alegou que a justificativa é inócua, já que o projeto obrigava apenas a divulgação das ações oficiais dos agentes públicos, e não estava associada a divulgação de afazeres pessoais.

Ponticelli diz que quer fortalecer Associações de Municípios

Eleito para o comando da Federação Catarinense de Municípios, a Fecam, na gestão 2019/2020, o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), assume com a missão de manter a defesa por um novo Pacto Federativo, identificar e disseminar as boas práticas das prefeituras catarinenses e focar no fortalecimento das Associações de Municípios e da organização municipalista no processo de desenvolvimento de Santa Catarina.

O ato de posse ocorreu nesta terça-feira (15/01), em cerimônia prestigiada, com a presença do governador, Carlos Moisés, da vice-governadora, Daniela Reinehr, representantes dos três poderes (Executivo, Legislativo, Judiciário), secretários de Estado, presidentes e diretores de entidades, universidades, parlamentares eleitos e em atividade, prefeitos, empresários, e demais lideranças. Durante a solenidade também foi assinado termo de cooperação técnica, entre a Fecam e a Fiesc, para o desenvolvimento dos municípios e regiões de Santa Catarina em regime de parceria.
O nome de Ponticelli foi aprovado em chapa consenso pelos prefeitos e prefeitas indicados ao processo eleitoral pelas 21 Associações de Municípios. Junto com o prefeito de Tubarão, os novos membros da diretoria e conselhos da Federação fazem a representação regional, garantindo a participação e atenção às demandas de todos os municípios catarinenses.

Joares Ponticelli destaca que o momento de início de mandatos de governos e Congresso - tanto nacional quanto estadual, exige uma agenda proativa que envolva os poderes e as entidades para reforçar as demandas municipalistas. “Temos que fortalecer os mecanismos de interação entre o Governo do Estado e os municípios, passando pelas Associações de Municípios, mas com a Fecam com papel importante dentro desse processo”, destaca.

O novo presidente acredita que as 21 Associações devem assumir o protagonismo de representação regional e que em Brasília concentrarão esforços para que os municípios, por meio da Fecam, busquem autonomia na aplicação de recursos. “O cidadão não mora no Estado ou na União. Ele mora em uma rua de um bairro, de um município e é lá que os problemas dele precisam ser resolvidos”, justifica.
Ponticelli assume a Fecam no lugar do prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, cuja presidência foi conduzida interinamente desde outubro pela prefeita de São Cristóvão do Sul, Sisi Blind.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias