Rolando Christian Coelho
08/11/2017 12h00

Caropreso, Vampiro e Moreira na agenda da Amesc

Rolando Christian Coelho, 08/11/17

“Muito engraçado este mundo de meu Deus! Ninguém quer ficar gripado da gripe alheia, mas poucos se cuidam para evitar o contágio da estupidez coletiva”.

Luiz Carlos Prates (1943) – Jornalista catarinense

Caropreso, Vampiro e Moreira na agenda da Amesc

Prefeitos, vice-prefeitos e Secretários de Saúde da Amesc, a Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense, têm três importantes audiências hoje, em Florianópolis. A primeira acontece às 10h com o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, e objetiva discutir questões ligadas ao Hospital Regional de Araranguá, cuja gestão tem deixado muito a desejar. Às 11h está marcada a segunda audiência, esta com o secretário de Estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro, e com o presidente do Deinfra, Wanderley Agostini, objetivando discutir a questão ligada à pavimentação da Serra do Faxinal, entre Praia Grande e a divisa com o Rio Grande do Sul. Por fim, as 14h30min, está marcada uma audiência com o vice-governador Eduardo Pinho Moreira, na qual serão discutidos os dois assuntos já especificados.

No que diz respeito ao Hospital Regional, a reclamação quanto ao seu atendimento é generalizada por parte da população do Extremo Sul. Basicamente, ninguém compreende como um hospital que recebe R$ 4 milhões por mês do Governo do Estado não consegue operar a contento da população. Atualmente, o Regional é administrado pela SPDM, Associação Paulista Para o Desenvolvimento da Medicina.

Há muito a Amesc tem manifestado interesse em gerir o Hospital Regional. Muitos prefeitos, no entanto, temem as consequências desta responsabilidade, já que, em última instância, as prefeituras é que seriam as responsáveis pela gestão hospitalar, cooptando seus bônus, mas arcando com os ônus de um setor que costuma deixar passivos enormes, sejam estes judiciais ou trabalhistas.

De todo modo, não custa tentar achar uma solução para a situação do Regional, que, a bem da verdade, deveria ser reassumido pelo Governo do Estado, e gerido em parceria com as prefeituras da Amesc, até mesmo num sistema cooperativado. Deste modo, as prefeituras teriam uma maior proximidade e afinidade com o Regional, mas sem correr o risco de ter que arcar com suas demandas futuras.

No que diz respeito a Serra do Faxinal o imbróglio continua. Esperança é que hoje a Secretaria de Infraestrutura e o Deinfra se posicionem, definitivamente, sobre o que de fato está acontecendo com a obra. Tudo leva a crer que os recursos que eram destinados para a pavimentação da Serra foram alocados para outra obra. O problema é que ninguém do governo admite isto, mas, tampouco, desmente. Algo, aliás, sem precedentes, no que diz respeito à comunicação do governo estadual com nossa região. Esperança é que os agentes governamentais se dignem, ao menos, a falar a verdade. Esperança, também, é a de que na última audiência, com Eduardo Moreira, sejam assumidos compromissos que tragam benefícios e dignidade para nossa gente, coisa que tem acontecido muito pouco nos últimos anos em relação ao Extremo Sul.

Pedra no sapato

Jornalista Luiz Carlos Prates está mais do que propenso a aceitar o convite do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ) para ser candidato ao Senado da República por nosso Estado. As conversações entre ambos neste sentido já vem de tempos, mas era mantida nos bastidores. Caso aceito de fato o convite, Prates será uma pedra no sapato das candidaturas que já estão encaminhadas, como a do governador Raimundo Colombo (PSD), do vice-governador Eduardo Moreira (PMDB) e do senador Paulo Bauer (PSDB). Nunca é demais lembrar que Bolsonaro lidera as pesquisas em Santa Catarina. Com um perfil tão conservador quanto o deputado fluminense, Prates também seria um palanque eleitoral e tanto para a campanha presidencial do capitão da reserva. Com os eleitores votando cada vez mais nas pessoas, e menos nos partidos, não é de se duvidar que Luiz Carlos Prates seja o azarão da eleição estadual de 2018.

Primo Júnior

Vice-prefeito de Araranguá, Primo Júnior (PR), está comemorando o empenho de emenda de bancada, em nível nacional, que destinará para a prefeitura de seu município recursos na ordem de R$ 820 mil, a serem aplicados no setor da saúde. O pedido de emenda foi feito por Primo Júnior e pelo vereador Adão Vieira dos Santos, o Vidrinho (PR), ao deputado federal Jorginho Mello (PR), que com o apoio dos demais deputados e senadores catarinenses assegurou o destino do recurso. “Este valor é extremamente significativo porque ele se destina ao custeio da Secretaria Municipal de Saúde, que é justamente o setor que mais carece de verbas, face a demanda de atendimentos”, comenta Primo Júnior, primeiro nome na lista de Jorginho Mello para disputar a Assembleia Legislativa pelo PR de nossa região ano que vem. Sobre este assunto, no entanto, o vice da Cidade das Avenidas desconversa. “Por ora prefiro me dedicar à vice-prefeitura, onde os frutos já começaram a aparecer”, comenta.

Oficializado

Governador Raimundo Colombo (PSD) oficializou ontem indicação do deputado estadual Zenei Ascari (PSD) para o Tribunal de Contas do Estado, onde atuará como Conselheiro, no lugar de Júlior Garcia, que solicitou sua aposentadoria. No jogo de xadrez da política, Garcia deverá, agora, concorrer a Assembleia Legislativa, no lugar de Zé Nei. Manoel Mota (PMDB), que ocupava a segunda suplência de sua coligação, agora passa a ser o primeiro suplente. A disposição já manifesta de Júlio Garcia de concorrer, de fato, ao parlamento estadual ano que vem, deu uma gelada na base do PSD no Sul do Estado. A ex-vereadora criciumense Tati Teixeira (PSD), por exemplo, que acalenta o sonho de disputar a Assembleia, já fala em se filiar ao PSDB de Clésio Salvaro, fazendo uma dobradinha feminina com a deputada federal Geovânia de Sá (PSDB). Resta saber onde o deputado Dóia Guglielmi (PSDB) seria encaixado nessa história.

Só os grandões

PSDB Catarinense ainda não fez nenhum aceno sobre qual filiado comum de nossa região irá compor o novo diretório estadual da sigla, que será eleito em convenção no próximo dia 11. O atual diretório do partido conta com o araranguaense Hélio Henrique da Silva e com o praiagrandense Nereu Cristóvão. Em princípio, todos os prefeitos e vice-prefeitos do Estado comporão o diretório, assim como as dezenas de outros cargos existentes, a exemplo de conselhos e sessões da sigla. Por conta disto, políticos como o prefeito de Praia Grande, Henrique Maciel, o de Maracajá, Arlindo Rocha, a vice-prefeita de Timbé do Sul, Tati Alexandre, e o vice-prefeito de Meleiro, Rogildo Bordignon, farão parte automaticamente do comando estadual do partido. Nenhum ‘pobre mortal’ de nossa região, no entanto, chegou a ser anunciado até o momento. É provável que, afora os que tenham mandato, apenas o sombriense Erivaldo Nunes Caetano Júnior, o Vadinho, que é presidente da Fesporte, componha o comando estadual da sigla.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias