03/07/2017 17h40 - Atualizado em 03/07/2017 18h49

Bauer candidato a governador. Quem mais se habilita?

Se tem algo que ficou bem explícito na viagem do senador na região da Amesc é de que é candidatíssimo ao governo do Estado. Resta definir uma aliança.

Bauer candidato a governador. Quem mais se habilita?

O senador Paulo Bauer (PSDB), esteve, novamente, em visita ao extremo sul catarinense, visitando os municípios de Araranguá, Turvo, Maracajá e Praia Grande. A princípio a visita é a típica de um senador colocando o gabinete à disposição de correligionários, aliados e mesmo lideranças de outros partidos, no intuito de auxiliar no que for possível o extremo sul.

Verdade seja dita, Bauer sempre teve um carinho especial pelo sul, onde mantém, inclusive, amigos de longa data, mas o senador deixou explícito que é pré-candidato ao governo do Estado em 2018 e contará muito com o apoio político do sul para alcançar a vitória.

Paulo Bauer é, afinal, candidato natural do partido, uma vez que concorreu em 2014 e este às portas de levar a eleição para o segundo turno, o que poderia ter dado contorno final diferente à eleição.

Ninguém ganha sem aliança

Conhecedor da política e suas nuances, Bauer é conhecedor de que o seu partido e que se diga, partido algum, levará a eleição de 2018 sem compor alianças. Neste sentido o partido e Bauer estão abertos, exceção explícita a fechar aliança com o Partido dos Trabalhadores, que em Santa Catarina, por sinal, não trava um embate direto com o PSDB, mas que a nível nacional deverá, sem dúvidas, ser o concorrente direto dos Tucanos.

A princípio o PSDB acredita na possibilidade de integrar uma aliança com o PSD, partido do governo que possui dois Tucanos como secretários, deputado Leonel Pavan (Turismo) e o deputado Vicente Caropreso (Saúde). Como terceiro integrante desta aliança viria o PP que também compõe, parcialmente, o governo do Estado.

O PSDB também mantém conversas com o PSB, mesmo que não declaradas, evidente que conversações são essenciais para o processo político ser formado e escolhidas coligações e candidaturas.

Alianças sim, vice, não.

Paulo Bauer e seu partido estão abertos a negociações, mas neste momento não vislumbram outra posição para o senador tucano que não seja como candidato ao governo.

Numa composição que se aproximaria do ideal para os tucanos pode-se ter Bauer como candidato a governador, Gelson Merísio (PSD), como candidato ao governo e apoio a Raimundo Colombo (PSD) como candidato ao Senado.

Entretanto, algo a se lembrar. Para que Colombo se torne candidato ao Senado deverá renunciar no início de 2018, abrindo mão do cargo para o vice-governador, Eduardo Pinho Moreira (PMDB), que também não descarta a possibilidade de ser candidato, mas que tem no partido o deputado Mauro Mariani como, também, possível candidato. Logo, antes de alianças, o PMDB precisa se ajustar internamente.

Paulo Bauer sabe, entretanto, que de última hora, ainda é possível uma composição do PSD com o PMDB, o que ocorreu nas eleições passadas para o governo do Estado. Neste cenário, o PSD poderia ser vice do PMDB, se tornando, tal qual em 2014, forte adversário.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias