Jairo Antonio
13/06/2018 18h23 - Atualizado em 13/06/2018 18h35

A Serpente e as Sereias

A Serpente e as Sereias

O mito das sereias é contado por várias culturas, dentre elas: Egípcia, Grega, Romana e Nórdica. As sereias foram citadas por inúmeros autores antigos: Plínio, Ovídio e até o próprio Aristóteles. Elas não passam de estórias contadas por navegadores, ou será que, de alguma forma inexplicável, estão entre nós?

Há milhares de anos, havia um lugar paradisíaco, perfeito e incomparável chamado Éden. No livro de Gênesis, encontramos o relato que descreve vários detalhes sobre esse lugar e os seres que o habitavam. Num certo dia, o Criador decidiu chamar à existência o primeiro casal que daria origem à toda raça humana. De um modo assombroso, do pó da terra Deus criou o primeiro homem e o chamou de Adão. Algum tempo depois, trouxe um sono profundo sobre essa criatura, retirou uma de suas costelas e formou Eva, a primeira mulher.

Tudo transcorria maravilhosamente bem no paraíso, até que entra em cena uma serpente e, de forma sedutora, dá início a um diálogo com a mulher, questionando as ordenanças e os limites estabelecidos pelo Criador. Eva não resiste à tentação proposta pela serpente, desobedece as ordens outorgadas, convence seu esposo, que também cede a mesma tentação, e ambos se rebelam e deixam de dar crédito às palavras do Criador. Eles obedecem as mentiras da serpente que os enganou, sendo expulsos do paraíso.

“Enganoso é o coração do ser humano, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” - Jeremias 17:9

Quem conhece a história acima relatada, ainda que de forma resumida, e identifica sua importância, sabe que até hoje a antiga serpente continua em ação, mentindo, tentando, seduzindo e procurando a quem possa enganar para conduzir tal pessoa ao mesmo estado decaído do primeiro casal.

Muito tempo passou após o primeiro casal ter sido manipulado e parece que a humanidade ainda não aprendeu a lição. Vivemos num período de relativização da verdade e um certo desprezo aos valores éticos e morais que constituem fundamentos sólidos para uma sociedade. É provável que você já deve ter ouvido ou até mesmo pronunciado a expressão: “cuidado com o canto da sereia”. Mas, você já se questionou o que essa expressão verdadeiramente significa e quão perniciosa ela é?

Reflexão em ação: Pense em quantos casais você conhece que caíram no canto da sereia e infelizmente o casamento terminou em adultério e divórcio? Quantos produtos você adquiriu e consumiu e só depois você descobriu que foi enganado? Quantas expectativas depositadas em falsas amizades que resultaram em profunda frustração? Se tratando de ano eleitoral, fico imaginando quantas sereias marqueteiras - políticos inescrupulosos - seduzirão os eleitores com as velhas promessas que nunca se cumprirão? Enquanto isso, ainda ouço comentários do tipo: “na próxima eleição a solução é escolher, dentre os candidatos, o menos ruim e votar nele”. Chego a triste conclusão de que há muita alienação, canto da sereia e veneno de serpente sobejando.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias