Maiara Possamai
10/07/2019 18h01

Bebê na escolinha: sim ou não?

Hoje é dia de falar sobre um tema bem importante

Olá mamães, as últimas semanas foram bem tensas por aqui. O frio sempre traz consigo muitos transtornos para os pequenos e a Lara tem sofrido bastante com ele, por isso, estava ausente!

Mas, vamos ao papo de hoje:

Volta e meia, um dos temais mais questionados por vocês é a educação escolar para bebês. Hoje, mais uma mãe compartilhou o relato dela comigo: ela quer muito voltar a trabalhar, o baby está com dois anos, mas ela tem medo de estar sendo egoísta e acaba se sentindo culpada.
Ela perguntou minha opinião sobre o assunto, se eu realmente vejo benefícios na ida da Lara para a escolinha e, por isso, achei legal falar abertamente sobre este assunto.

A questão é que a grande maioria das mães não tem opção, se não levar o bebê para a escola. Mas há quem tenha esta escolha e aí vem a dúvida: devo levar meu filho, tão pequeno, para a escolinha?

Vamos lembrar que este é um blog pessoal e minha opinião é de mãe – não sou especialista em educação infantil, nem nada – apenas espero ajudar com a minha experiência... Mas, quando essa pergunta vem a tona, acho que a primeira resposta deve vir da mãe, ela é quem deve parar e pensar se está confiante em levar o filho para a escola (lembrando que estou falando de quem realmente tem esta opção).

No nosso caso, a Lara ficou indo trabalhar comigo do primeiro mês de vida até os cinco meses. Aí, eu e o Valter conversamos e decidimos que seria melhor para todo mundo que ela começasse a ir para a escola. Eu não conseguia mais trabalhar direito e aquela rotina de sair cedo, com ela, um caminhão de bolsas, bebê conforto, frutas, mamadeira e passar o dia todo me revezando entre textos e cuidados com ela, não estava mais dando certo (honestamente, quando lembro disso hoje, não sei como dei conta, mas passou!).

Desde os cinco meses, até hoje (ela está com um ano e 10), a escola faz parte da nossa rotina. E se me perguntarem se vejo benefícios? Muitos! A Lara é super comunicativa, já sabe dizer o que quer e do que precisa, a cada dia chega em casa com novas descobertas – esses dias, estávamos tomando café e, de repente, ela começou a contar – foi do um ao 10 – e nós nos derretemos de tanto orgulho! Ela também é muito atenta, conhece cores, animais e músicas, sabe socializar com outras crianças e entende seus limites. Não tenho como saber como seria se ela tivesse ficado em casa, mas tenho certeza que a escola contribui muito para o desenvolvimento dela.

E sabe outro benefício de levar o bebê para a escola? A mãe tem a chance de ser quem era – ou pelo menos, um pouquinho de quem foi. Depois do parto, nós nos sentimos tão perdidas, parece que nunca mais sentiremos aquela realização profissional, ou que teremos um tempo para pensar em ‘coisas de adulto’. Na minha opinião, cada uma no seu tempo, mas a mulher precisa ter a sua própria rotina, precisa enfrentar desafios profissionais, vence-los, subir na carreira, se sentir realizada!

Não estou falando que as mães que optam por ficar em casa estão erradas, como disse, cada uma sabe o que é melhor para si, mas àquelas que tem esse desejo de voltar ao trabalho e se redescobrir como mulher, devem faze-lo! Dá um medinho? Sim! Às vezes bate uma culpa absurda? Com certeza! Mas de nada adianta abrir mão de sua profissão para ficar em tempo integral com o bebê se você não estiver feliz. Seu filho não veio ao mundo para te fazer abrir mão de tudo por ele, pelo contrário, ele veio te mostrar que tudo tem um novo sentido e que você é capaz de conciliar ainda mais coisas do que fazia antes. A diferença? É que agora você sempre terá o ser mais fofo do mundo te esperando chegar!

Então mamães, se vocês têm dúvidas sobre a educação dos seus filhos, apenas parem, avaliem e pensem no que vai fazer vocês mais felizes!
Esta é a escolha certa!

Espero ter ajudado!

Quer continuar acompanhando a nossa rotina? Nos siga no Instagram!

Instagram: @blogdiariodemamae

Facebook: @blogdiariodemamae

Site: Diário de Mamãe

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias