Juarez Nardi
21/12/2017 19h00

Aniversário, Natal e Réveillon em Dezembro

Um mês intenso de tradições antigas e costumes modernos.

Aniversário, Natal e Réveillon em Dezembro

A celebração de aniversário, passou a ser comemorada em 3200 a.C., no Egito antigo. A festa era exclusiva do faraó, as velas e incensos, levavam a fumaça com as preces do aniversariante para os deuses, garantindo a proteção contra maus espíritos. Na Grécia, surgiu o bolo, onde com a chegada da lua cheia, bolos de mel em forma de lua, eram ofertados a Deusa Artemis. Mais tarde, a festa ressurgiu em Roma e ganhou o nome de anniversarius, que significa “aquilo que volta todos os anos”. A comemoração está ligada a ideia de que em todos os anos, forças malignas vem roubar o espírito do aniversariante, por isso um ritual deve ser feito.

Tudo isto tem a ver com o Natal, o que também era chamado de Natalis Solis Invicti, uma homenagem a Mitra, o deus do Sol, da sabedoria e da guerra na mitologia persa. Esta celebração muito popular em Roma, era considerada um ritual pagão pela Igreja Católica. As festas de Natal foram aceitas por volta do século IV, quando o nascimento de Jesus passou a ser comemorado, justamente no dia da celebração do Solis Invicti.

Se comemora o Natal dia 25 de dezembro, mas não se sabe se Jesus nasceu neste dia. Segundo pesquisadores, seu aniversário foi escolhido nesta data por motivos simbólicos. Houve a intenção de substituir o festival do Sol, que até hoje acontece entre os povos pagãos, durante o solstício de inverno no hemisfério norte por volta de 22 de dezembro. A popularização das celebrações de aniversário só aconteceram no século XIX, quando na Alemanha, um festival de aniversários coletivos foi organizado.

O Réveillon é uma tradição ocidental, resultado de uma decisão no calendário romano, no século 740 a.C., que foi preservada quando a Igreja Católica adotou o calendário gregoriano no século XVI. A palavra réveillon tem origem no verbo em francês réveiller, que significa "acordar". Assim, o réveillon é o despertar do novo ano. No Brasil, existem diversas tradições herdadas das religiões africanas e afro-brasileira, como o Candomblé e a Umbanda. O tradicional culto à Iemanjá, com as oferendas ao mar é praticado por pessoas de diversas religiões e tem grande aceitação junto ao público católico. Usar roupas brancas é uma reverencia ao orixá Oxalá.

Se o aniversário é um ritual de proteção e o Natal é o nascimento. O Réveillon significa a renovação completa, onde acontece a mistura de várias superstições. Para que tudo ocorra bem, vale comer lentilhas, pular sete ondas ou guardar uma folha de loro na carteira. Todos estes simbolismos, são manifestações culturais que revelam a identidade dos povos e sociedades. Esta crônica sobre história, superstições e rituais está sendo publicada, em 18 de dezembro, dia do meu aniversário. Há uma semana antes do Natal e há duas semanas do Réveillon. Fazer aniversário por esta época significa dividir as atenções com o menino Jesus e a virada de ano. A comparação é inevitável e a sensação de proteção, nascimento e renovação em menos de um mês, muito forte.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias